6 inimigos mortais do casamento

O casamento está sob ataque. O casamento sempre esteve sob ataque. O mundo, a carne e o diabo estão sempre se opondo ferozmente ao casamento, em especial a casamentos distintamente cristãos. O casamento, afinal de contas, foi dado por Deus para fortalecer seu povo e para sua própria glória; não é de se assustar, então, que esteja constante sob ataque.

Tenho pensado recentemente sobre alguns dos inimigos mais escancarados do casamento cristão e, para falar a verdade, os inimigos mais evidentes que eu vejo assolar o meu próprio casamento. Aqui estão 6 inimigos mortais do casamento (do cristão em particular).

Negligência da Fundação

O inimigo do casamento que merece estar no topo da lista é este: negligenciar a fundação – negligenciar a fundação bíblica. A Bíblia deixa claro que o casamento é uma instituição decretada por Deus e uma instituição projetada para glorificar a Deus ao demonstrar algo a respeito dEle. O grande mistério do casamento é que o relacionamento pactual do marido e da esposa é um retrato do relacionamento pactual de Cristo e sua igreja.

O casamento é de Deus, sobre Deus, para Deus e por Deus, então assumimos um risco quando negligenciamos Deus. Apenas quando a fundação bíblica está em seu devido lugar que somos capazes de entender corretamente como um marido e uma esposa devem se relacionar, como devem assumir seus papéis individuais e como devem buscar glorificar a Deus tanto individualmente como enquanto casal. Edificar um casamento sobre qualquer outra fundação é negligenciar a rocha em favor de construir sobre a areia.

Negligência da Oração

A oração é o nosso sustento, o meio pelo qual adoramos a Deus, expressamos nossa gratidão, confessamos nosso pecado e suplicamos por ajuda. O casal que ora junto está confessando perante Deus que dependem dEle, que são incapazes de continuar sem Ele.

A oração privada é essencial para a vida cristã, e a oração do casal é essencial para o casamento cristão. Aqui, ajoelhados ao lado da cama ou sentados no sofá, o marido e a esposa se encontram juntos com o Senhor, o adorando por sua bondade e graça, confessando seus pecados contra ele e de um contra o outro, e suplicando por sua sabedoria e consolo. Quando a oração cessa, o casal está proclamando tacitamente que podem sobreviver e prosperar por si só, que eles não precisam da constante e diária assistência divina. A falta de oração é um grande inimigo do casamento.

Negligência da Comunhão

Outro grande inimigo do casamento é a falta de comunhão – comunhão com a igreja local. Satanás ama quando consegue compelir um indivíduo a se afastar da igreja; quão melhor não é quando ele consegue afastar um casal ou uma família inteira. Quando um casal casado deixa a igreja, ou mesmo se restringe a comparecer o menos possível, eles estão deixando o lugar onde deveriam estar para ver exemplos de casamentos saudáveis, onde podem adorar uns com os outros, onde podem encontrar amigos com quem podem se abrir sobre o casamento para que outros possam enxergar e diagnosticar suas lutas. O casamento prospera no contexto da igreja local e murcha fora dele.

Negligência da Comunicação

Assim como Satanás quer que um casal deixe de se comunicar com Deus por meio da oração, ele também deseja que o casal pare de se comunicar entre si. Comunicação livre, aberta e regular é a chave para qualquer relacionamento, acima de tudo no casamento. Quando um casal é capaz de se comunicar e o faz, são capazes de reconhecer e enfrentar as dificuldades, são capazes de compartilhar tanto as alegrias quanto os sofrimentos que são inevitáveis em uma vida vivida em conjunto. Casais demais deixam de se comunicar, ou talvez nunca tenham aprendido a fazê-lo. Ao invés de enfrentarem os problemas, permitem que eles permaneçam, cresçam e se tornem tóxicos. A comunicação é chave para um casamento saudável, e a falta dela é um inimigo perigoso.

Negligência de Interesses em Comum

Quando um casal está namorando, é raro descobrirem que não tem nada (ou muito pouco) em comum. Mas conforme o tempo passa, após se tornarem marido e mulher e se acostumarem à vida normal, eles podem facilmente caírem em suas rotinas à parte. E assim vivem sozinhos em conjunto, duas pessoas levando duas vidas separadas sob o mesmo teto.

Interesses em comum levam a tempo compartilhado, conversas compartilhadas, paixões compartilhadas. Pode ser um hobby, uma atividade, uma série de TV, mas tem que ser alguma coisa. A negligência dos interesses em comum é um grande inimigo de um casamento saudável.

Negligência do Sexo

Deus agiu com bondade ao prover o estranho e misterioso dom do sexo como forma de unir um marido e uma esposa de forma única. Sexo é a cola de um casamento saudável, mas, mesmo assim, muitos casais nunca estão muito longe de negligenciá-lo ou substituí-lo pela pornografia ou alguma outra coisa. A Bíblia exige que um marido e uma esposa mantenham o relacionamento sexual em todas as circunstâncias, à parte das mais extremas – desde que com consentimento, e por pouco tempo, para se concentrarem na oração. Há épocas inevitáveis em que nada parece mais difícil do que buscar a relação sexual e nada parece mais fácil do que negligenciá-la, mas negligenciar o sexo é desobedecer a Deus diretamente. Negligenciar o sexo é destratar um dos maiores e mais indispensáveis dons de Deus.

Se Satanás não puder destruir um casamento, ele irá tentar, pelo menos. Negligenciar qualquer dessas seis coisas é convidar sua presença e sua influência para dentro do casamento.

Traduzido por Filipe Schulz | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.