8 pontos para ajudar a lidar com a aflição

por Joel Beeke

Joel Beeke

Ontem [12/12/2012] eu me submeti a uma segunda cirurgia pequena, em um intervalo de várias semanas, por causa de um câncer basocelular de pele em meu rosto. Não é algo muito sério, já passei por isso uma meia dúzia de vezes. Entretanto, ontem foi mais doloroso. Injeções no nariz para anestesiar a área infectada não nos fazem sentir bem! Depois de o dermatologista retirar uma camada, você vai para uma sala de espera com uma meia dúzia de outras pessoas que estão infectadas de forma similar – todos com grandes curativos sobre o nariz e outras partes do rosto. Arrisco dizer que todos ficam orando secretamente enquanto esperam que o médico tenha removido todo o câncer já na primeira sessão. O tempo de espera entre as sessões gira em torno de quarenta e cinco minutos à uma hora.

Bem, basta dizer que ontem metade das pessoas foram tratadas com sucesso após a sessão 1, e quase a outra metade na sessão 2 – todas com exceção de mim. O dermatologista finalmente teve sucesso com meu caso depois da sessão 3. Isso significa ter sido anestesiado quatro vezes e muitas picadas no nariz e nas áreas em volta durante todo o dia. Acabamos ficando lá por seis ou sete horas.

Para minha vergonha, eu estava começando a murmurar quando fui o único que restou na sala. Duas coisas providenciais me ajudaram, entretanto. Uma delas foi uma doce senhora metodista que ficava nos dizendo que a vida dela estava nas mãos de Deus de forma que não importava quantas sessões ela teria que se submeter. O testemunho dela foi bastante humilhante.

Mas o segundo, e mais útil, foi o livro que eu estava editando durante os períodos de espera – a primeira biografia sobre o puritano Arthur Hildersham, a qual a Reformation Heritage Books espera publicar no próximo mês. Assim que minha murmuração começou a surgir, cheguei a um notável capítulo do livro sobre as aflições que Hildersham teve que enfrentar em sua vida, e como ele, então, escreveu sobre 8 pontos para ajudar a lidar com a aflição. Rapidamente, aqui estão eles:

1. Pense sobre aflição, espere-a, e se prepare para ela antes de ela chegar.

2. Afaste seu coração do amor por coisas terrenas de forma que quando perdas e cruzes chegarem, você estará apto a se curvar diante delas em doce submissão.

3. Familiarize-se completamente com as Escrituras, pois elas preparam as pessoas para a aflição, e nos ensinam a paciência e o conforto na aflição, como nenhum outro livro consegue.

4. Esforçe-se por perceber o quão pecador você realmente é, de maneira que você entenderá que aquilo que você está suportando não é nada se comparado ao que você merece.

5. Antes que provação chegue, tenha certeza de que você tem uma fé verdadeira e viva, e uma agradável convicção de sua reconciliação com Deus através de Cristo, pois a fé em Cristo e a segurança do bem-estar da sua alma nEle lhe capacitará a beber “a porção mais amarga da mão dEle”.

6. Lembre-se de que você possui a esperança da glória eterna se e quando você morrer.

7. Antes que a aflição chegue, seja diligente em “levar uma vida piedosa e estar com a consciência limpa”.

8. Deixe que a oração lhe fortaleça em todas as provações.

Que ajuda esses oitos pontos foram para mim ontem! Como um crente pode murmurar depois de meditar em uma lista como essa? Na verdade, Deus é mais bondoso conosco em nossas piores provações do que nós somos para Ele em nossos momentos mais piedosos e de maior retidão.

Tags: ,

Traduzido por Alex Daher | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.