A Essência do Cristianismo

por John Frame

John Frame

Essência é a qualidade pela qual algo é definido, essa qualidade que faz algo que se distinguir de outras coisas. Tri – lateralidade é uma característica essencial de um triângulo. Uma figura pode ser curta, longa, grande, pequena, mesmo em frente e verso ou lados irregulares, não importa, com ou sem qualquer uma dessas qualidades ainda será um triângulo. Mas tire suas tri-lateralidade, e de repente já não é um triângulo, tornou-se algo mais.

Agora, muitos têm procurado descobrir a “essência” do cristianismo, o que torna o cristianismo o que é, aquilo sem o qual seria outra coisa. Livros foram escritos (como por Feuerbach e Harnack), intitulados com: A essência do cristianismo. E muitos teólogos, embora escrevendo livros com outros nomes, têm procurado, com efeito, se não em tantas palavras, identificar a essência. A grande variedade das sugestões, no entanto, põe em dúvida ore o projeto. Qual é a essência? A moral (Kant)? O sentimento religioso (Schleiermacher)? Dialética filosófica (Hegel)? Realização de desejo (Feuerbach)? A paternidade de Deus (Harnack)? Palavra de Deus (Barth)?O encontro pessoal (Brunner, Buber)? Atos de Deus (Wright)? A auto-negação do ser (Tillich)? Auto-compreensão existencial (Bultmann)? Esperança (Moltmann)?Libertação (Gutierrez)? Encarnação (Ortodoxia Oriental)? Aliança (muitos calvinistas)? Cinco “fundamentos” (muitos conservadores americanos)? E o quanto a santidade, a justiça, a misericórdia, a fé, o amor, a graça, o louvor, o espírito, a paz, a alegria, a vida do corpo? O quanto ao  evangelismo, adoração? Todos estes têm alguma reivindicação para serem chamadas de “coração do Evangelho” ou o “centro do cristianismo.” Ou por que não dizer simplesmente que “o Cristianismo é Cristo?”

Assim, somos inundados com “teologias da” isto e aquilo, cada um alegando que seu tema é o (até então negligenciado!) “O foco central” do cristianismo. Como é que vamos responder? Bem, esses projetos muitas vezes têm valor positivo. Eles podem ser esclarecedores para escolhermos um conceito bíblico ou de ensino e tentar ver o resto da Escritura à luz de tal ensinamento. Somos seres finitos e, portanto, não podemos ver toda a Bíblia de uma vez. É útil ter um “foco”, um ponto de partida, e muitos destes estudos proporcionam isso. Por outro lado, também existem perigos deste tipo de teologia: (1) Teologias organizada em torno de uma “doutrina central” muitas vezes ignoraram, falseiam ou mesmo atacam outras doutrinas bíblicas que julgam ser “periféricas”. (2) Eles freqüentemente dão a impressão de que seu foco em particular é o foco único motivo legítimo para a teologia, portanto, injustamente negando o valor de outras abordagens. (3) Tais propostas podem promover um absurdo arrogante: que os elementos mais importantes do cristianismo tem sido praticamente esquecido por dois mil anos, apenas foram recuperados pela genialidade dos estudiosos modernos.

Os grandes teólogos, como Agostinho, Tomás de Aquino, Lutero e Calvino, não procuraram organizar os seus sistemas em torno de um “doutrina particular central”.Em vez disso, eles procuraram expor uma complexidade (unificada) da escritura ensinnando-a como um todo. O resultado foi uma multilateralidade, uma amplitude e uma profundidade, raramente vistas no mundo moderno das “teologias disso e aquilo”.Talvez este tipo de realização possa ser atribuída somente aos gênios. O resto de nós, talvez, os teólogos comuns devemos nos contentar em encontrar uma “doutrina central” e escrever sobre ela. Mas se fizermos isso, seria prudente que nos lembremos que o cristianismo tem muitos centros, ou melhor, um (Cristo), que pode ser descrito a partir de uma ampla variedade de “perspectivas”. Cada “doutrina central”, então, é um “ângulo” certo de que todo o ensinamento da Escritura pode ser vista. Com essa visão “perspectivista” da questão, podemos promover uma “doutrina central” sem diminuir as outras e sem reduzir a riqueza do evangelho de Cristo.

Tradução: Rafael Bello| iprodigo.com| original aqui

Tags: , , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.