A quem devo temer? Resgatando Daniel dos livros infantis

por George Lawson

George Lawson

É claro que você já ouviu falar de Daniel e a cova dos leões. Até mesmo se você não cresceu com uma apresentação de tecnologia de ponta no flanelógrafo da Escola Bíblica Dominical, ou não utilizou sua criatividade para transformar uma lancheira em um leão feroz e comedor de homens, você seria capaz contar a história em detalhes vívidos.

Porém, apesar de estarmos familiarizados com o resgate de Daniel da cova dos leões, ele ainda parece estar preso aos livros infantis, e é colocado na prateleira entre “Mamãe Gansa” e as fábulas de Esopo. O capítulo 6 de Daniel é mais do que uma história de ninar, e, se eu puder ser honesto com você, por um longo tempo eu falhei em perceber o ponto principal.

O ponto principal de Daniel 6 não é o exemplo de Daniel

Daniel foi um grande servo de Deus? Ele é digno de imitação? Absolutamente, sim! E não há nada errado em imitar a fé de um homem temente a Deus. Isso é o que somos instruídos a fazer nas Escrituras (1 Co 4.16, 11.1 e Fp. 4.9). Precisamos viver de forma digna de imitação e achar aqueles que são dignos de serem imitados. O autor de Hebreus nos lembra que devemos ser “imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam suas promessas” (Hb 6.12). Essa é uma aplicação de Daniel 6, mas não é o ponto principal.

O ponto principal de Daniel 6 não é a fé de Daniel

Aqui está outra aplicação que podemos corretamente retirar dessa importante narrativa e esse é o aspecto que é enfatizado em Hebreus 11. Nesse capítulo, conhecido como galeria dos heróis da fé, lemos sobre homens “os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões” (Hb 11.33). Daniel é um modelo de forte e robusta fé em Deus. Não há dúvida de que podemos aprender sobre confiar em Deus com a história de Daniel, mas, novamente, esse não é o ponto principal.

O ponto principal de Daniel 6 não é a coragem de Daniel

Daniel  no episódio “Where’s God when I’m s-scared?” [Onde está Deus quando estou com m-medo?], da série “Os Vegetais”*, nos ajuda a responder essa questão. Daniel é um exemplo de coragem? É melhor você acreditar que sim. Em Daniel 6.10, após saber do decreto do rei, sua primeira atitude foi orar. Se essa não é uma vontade de ferro, então não sei o que é.

Todas essas são lições que podemos aprender com Daniel 6, mas, se perdermos a lição no final da história, estaremos perdendo o ponto principal! O que atingiu o rei Dario enquanto ele se afastava da cova dos leões? Quais foram as palavras que Daniel escreveu como uma conclusão adequada para esse capítulo? O que deveríamos levar dessa narrativa? Leia isso…

“Então, o rei Dario escreveu aos povos, nações e homens de todas as línguas que habitam em toda a terra: Paz vos seja multiplicada! Faço um decreto pelo qual, em todo o domínio do meu reino, os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel…” (Daniel 6.25,26)

O ponto principal de Daniel 6 é o Deus de Daniel!

Esse foi motivo principal por que Dario se afastou da cova dos leões e esse é o ponto principal que Daniel quer que extraiamos desse capítulo. O que impressionou Dario não foi o exemplo de Daniel, a fé de Daniel ou a coragem de Daniel, mas sim o Deus soberano a que Daniel servia. Você teme e treme perante o Deus soberano? É isso que você geralmente pensa? É isso que você pensa quando lê sobre Daniel e a cova dos leões? Eu faço de tudo para ajudar as crianças a terem uma boa noite de sono, mas não devemos ficar satisfeitos em responder a pergunta: “Onde está Deus quando estou atemorizado?”, vamos responder uma pergunta mais importante: “Quem teme o meu Deus?”.

*Série infantil americana de animação com temática evangélica. 

Tags: , , ,

Traduzido por Fernanda Vilela | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.