A vida centrada no evangelho

por Tim Challies

por Tim Challies
por Tim Challies

Pouco tempo atrás um leitor deste blog escreveu-me com uma questão bastante interessante. Eis o que ele perguntou: Estou procurando uma orientação sobre uma coisa. Estou à procura de livros sobre ser “Centrado no Evangelho”. Eu sei que é um chavão novo e realmente tem me intrigado bastante. Eu sou um cristão de longa data, mas sou novo a esta ideia de “Centrado no evangelho”. Não me interpretem mal, eu amo Jesus, as Escrituras e Evangelho, mas eu nunca tinha realmente ouvido falar e nem compreendo realmente o que significa ser “centrado no evangelho”.

Na minha igreja nós conversamos muito sobre “vidas Centradas no Evangelho”, ou “vidas centradas na Cruz”, sobre como aplicar o evangelho às situações da vida. Então me deixe compartilhar um pouco da minha experiência sobre o que isso significa realmente. No final eu vou oferecer algumas sugestões para leitura adicional. Eu sinto que sou muito mais um estudante que um professor nessa área, então eu dependerei em grande parte o que outros já disseram.

Eu adoraria saber a origem do termo “centrado no evangelho”. Embora eu não possa produzir qualquer prova de onde veio, minha sensação é que ela surge de uma combinação de vários fatores: os escritos de C.J. Mahaney e Jerry Bridges juntamente com a ênfase de organizações como CCEF e Desiring God. De alguma forma, se você misturar esses homens e essas organizações, acho que vai acabar encontrando essa ênfase na centralidade do evangelho. Talvez alguém possa oferecer uma história mais profunda da frase.

Evangelho

A primeira coisa que precisamos fazer é definir evangelho. Em nossa igreja nós temos uma forma conveniente de fazer isso usando uma mão e que todas as crianças entendem. Tenho certeza que você poderia ir até praticamente qualquer criança na igreja, perguntar “o que é o evangelho?” e ouvir essa resposta: “Cristo morreu por nossos pecados e ressuscitou”. Quando falamos sobre isso durante os cultos, nós acompanhamos um pouco de ação. Começamos com um punho fechado e com cada uma das cinco primeiras palavras abrimos um dedo. “Cristo…morreu … pelos… nossos… pecados”. Então, com a mão aberta, a levantamos e dizemos “e ressuscitou!” E isso é o evangelho. É claro que o evangelho pode ser tão simples como essas sete palavras ou tão complexo como muitos volumes de textos teológicos. Mas a essência do evangelho está ali: Jesus Cristo foi condenado à morte como propiciação pelos nossos pecados e foi ressuscitado para a vida.

Centrado no Evangelho

Viver uma vida centrada no evangelho é simplesmente viver de tal modo que este evangelho seja central. Assim, quando qualquer tipo de situação surgir podemos dizer, “Como o evangelho se aplica a esta situação?” Quando eu estou lidando com um pecado particular ou uma tentação, eu posso perguntar: “Como posso aplicar o Evangelho a este pecado?” Quando Estou confuso sobre criação de filhos, posso perguntar: “O que o Evangelho me diz sobre a minha tarefa de paternidade?” A realidade fundamental da vida cristã é esta: Cristo morreu por nossos pecados e foi ressuscitado. Assim, todo o resto flui para fora do evangelho e que cada pergunta seja respondida em referência a ela.

Eu gosto de frases como essa de Joe Thorn: “A vida centrada no evangelho é aquela em que o cristão experimenta uma crescente dependência pessoal do evangelho para protegê-lo de confiar em seu próprio desempenho religioso e ser seduzido e dominado pelos ídolos”

Joe aponta quatro frutos de uma vida centrada no evangelho:

Confiança (Hb 3:14; 4:16)

Quando o evangelho é central em nossas vidas, temos confiança diante de Deus – não por causa das nossas realizações, mas por causa da expiação de Cristo. Nós podemos nos aproximar de Deus sabendo que ele nos recebe como seus filhos. Nós não permitimos que os nossos pecados nos prendam em culpa e desespero, mas sua presença em nossa vida nos obriga a fugir constante a Cristo pela graça que restaura o nosso espírito e nos dá força.

Intimidade (Hb 7:25, 10:22, Tg 4:8)

Quando o evangelho é central em nossas vidas, temos e mantemos intimidade com Deus, não por causa de nossa atuação religiosa, mas por causa do ministério sacerdotal de Jesus. Sabemos que Jesus é o nosso mediador diante de Deus Pai e nos deu perfeita paz com Deus por meio de seu sacrifício que nos permite aproximar de Deus com a expectativa ansiosa de receber graça, e não julgamento.

Transformação (2 Co 3:18;. 1 Ts 5:23;. 2 Ts 2:13).

Quando o evangelho é central em nossas vidas, experimentamos transformação espiritual, não apenas uma melhoria moral, e essa mudança não acontece por nossa força de vontade, mas pelo poder da ressurreição. Nossa esperança de nos tornarmos aquilo que Deus planejou e deseja não está em nos esforçarmos mais, mas em confiar mais – confiar em sua verdade e no Espírito para nos santificar.

Comunidade (Hb 3:12, 13; 10:25; 2 Tm 3:16, 17)

Quando o evangelho é central em nossas vidas, desejamos e encontramos unidade com outros crentes na igreja local, não por causa de uniformização cultural, mas por causa da nossa fé comum e Salvador comum. É dentro desta comunidade de aliança, se a própria comunidade for centrada no evangelho, que nós experimentamos o tipo de companheirismo que reconforta os aflitos, corrige os rebeldes, fortalece os fracos e encoraja os desanimados.

Se uma pessoa ou igreja é centrada no evangelho, quer dizer que há outras coisas em torno das quais ela não está organizada. Não é centrada na tradição (como, talvez, igrejas fundamentalistas possam ser), não é centrada no pragmatismo (como igrejas em crescimento são muitas vezes), não é culturalmente centrada como são tantas igrejas hoje. É o evangelho que fica no centro da igreja ou do crente.

Então, na minha experiência, um cristão centrado no evangelho é simplesmente o cristão que está sempre olhando para o evangelho como o poder de mudança, que está mantendo o evangelho como ponto de referência. Não importa a situação, ele está olhando para o evangelho e perguntando: “Como o evangelho se aplica a isto?”

Traduzido por Gustavo Vilela | iPródigo | original aqui

Tags: , , , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.