Aconselhamento pré-matrimonial e pornografia

Winston Smith

Winston Smith

9Marcas: Qual é a “sabedoria convencional” acerca da saúde e felicidade no casamento entre cristãos evangélicos? Você se diferenciaria dessa “sabedoria convencional”? Como?

Winston Smith: Eu penso que a palavra da moda hoje – não só para casamentos de cristãos, mas nos casamentos em geral – é compatibilidade. A idéia é de localizar a sua “alma gêmea” ou a pessoa que é mais compatível com você.

Há algo complicado sobre a idéia de compatibilidade. Existe uma sabedoria fundamental que você realmente vê em Provérbios sobre compatibilidade. O casamento é muito mais difícil quando você se casa com alguém que você não gosta. “Como um constante gotejamento é uma esposa briguenta”. Você não deve se casar com alguém que você não gosta ou não se dá bem. Isso pode soar como estupidez, mas as pessoas fazem isso. É onde as Escrituras dizem: “Sim, a compatibilidade significa alguma coisa.”

O escorregão vem quando nós vamos além do que uma compreensão superficial de compatibilidade – encontrar alguém que faz minha vida mais fácil ou me faz sentir bem. Nós caímos nessa concepção de “relação de consumo”, onde saímos no mundo e vamos procurar um parceiro em potencial, da mesma forma como vamos a uma mercearia. Nós não olhamos os outros como alguém que somos chamados a amar. Temos a tendência de desenvolver a visão de túnel, olhando para o que é adocicado e doce. Nós realmente tomamos decisões ruins, mais do que tomamos boas decisões. Devemos ter muito cuidado sobre como nós falamos sobre a compatibilidade. Não há problema em falar sobre isso e reconhecê-la como um fator, mas quando se está sozinho, ela só serve o egoísmo e o pecado do coração humano.

PRIORIDADES BÍBLICAS E ACONSELHAMENTO PRÉ-MATRIMONIAL

9M: Se a chave para um casamento saudável não é apenas a compatibilidade, o que é? Ou deixe-me colocar isto em um contexto do mundo real e fazer a pergunta assim: Qual é a coisa mais importante a dizer a um casal envolvido no aconselhamento pré-nupcial? Qual é a coisa mais importante que elas precisam para começar?

WS: Sempre que eu me encontro com um casal que está planejando se casar, uma das coisas que eu sempre tenho que ter em mente é que eu estou olhando para as pessoas que são à prova de bala. Essa é a maneira que eu penso. Em outras palavras, quando um casal começa a me procurar para o aconselhamento pré-marital, eles geralmente já estão noivos. Alguém gastou alguns milhares de dólares em um anel de noivado. Às vezes, os convites do casamento já saíram, e eles realmente não estão lá para ouvir sobre seus problemas. Eles vieram para obter um selo de borracha – a aprovação para que eles possam ir em frente com confiança. Meu trabalho é ajudá-los a entender que existem razões importantes para que eles abram seus problemas e possam vê-los.

Acho que na maioria das vezes, os jovens se casam porque em seu namoro a experiência ensinou-lhes que eles são realmente bons em se divertir uns com os outros. Eles têm desfrutado beber e comer uns com os outros. E eles querem fortalecer a diversão com o casamento. É muito bom estar casado com alguém que você goste de se divertir, mas em última análise o casamento não é diversão. Diversão pode ser um dos grandes subprodutos do casamento, mas em última análise, um casamento é um retrato do relacionamento de Cristo com sua noiva, a igreja, e seu amor por ela. É a nossa oportunidade e nosso dever de no casamento refletir essa imagem.

E você quer saber? Esse tipo de amor não apenas aparece nos momentos bons e felizes. Esse tipo de amor às vezes é mais visível quando as coisas dão errado. Nós conhecemos o amor de Cristo, porque ele veio para nós em nossa bagunça, nossa feiúra, nossa fragilidade e nossa revolta. Este tipo de casamento requer um par para satisfazer um ao outro nos momentos desarrumados e lugares assustadores. No aconselhamento matrimonial, quero preparar as pessoas para esta parte mais crítica da imagem de Cristo. Eu preciso fazê-los estarem dispostos a olharem para a confusão, antes de se casar. Assim eles vão saber se eles estão fazendo uma decisão sábia.

9M: Existe algo mais que é crucial para o aconselhamento pré-matrimonial?

Acho que a palavra chave para o aconselhamento pré-marital é sabedoria. A decisão de se casar com alguém não é sobre a manutenção de um elevado nível emocional. É sobre tomar uma decisão sábia. A sabedoria dessa decisão se baseia em escolher alguém para casar-se que você vai gostar, não apenas em seus pontos fortes, mas alguém que você estará preparado para amar e ministrar em suas fraquezas. Então, ao contrário, uma decisão sábia é escolher alguém que o amor não aparece só nos momentos de diversão e de seus pontos fortes, mas que vai ministrar a você e amá-lo em sua fraqueza. Essa é uma decisão sábia.

O que eu quero fazer no aconselhamento pré-matrimonial não é dizer-lhes se eles devem ou não casar com esta pessoa. Eles são livres para se casar com qualquer cristão que seja. Mas eu quero perguntar:

“O que seria uma decisão sábia ao olhar para você?”

“Aqui está o que eu estou aprendendo sobre as suas tentações e sua maneira de viver. Aqui está o que eu estou aprendendo sobre a outra pessoa, a maneira dela de viver, suas tentações e seus pecados. Como isso ficaria seu aconselhamento se você tentasse ministrar isso na vida deles?”

“Aqui é o lugar onde suas forças estão, e aqui é onde suas fraquezas estão. Aqui é a maneira que a carne seria provavelmente fora do casamento. Agora você decide. É um ministério que você está disposto a empenhar-se para o resto da sua vida? Esta é realmente uma decisão sua, não minha. ”

Em raras ocasiões, eu me senti compelido a dizer: “Isso vai ser um desastre se vocês se casarem.” Mais freqüentemente eu direi: “Esta é minha opinião de como eu acho que vai ser e cabe a vocês decidirem se está Ok para vocês ou não.”

MUDANÇAS CULTURAIS E PORNOGRAFIA

9M: Como você acha que a cultura mudou ao longo dos últimos quinze ou vinte anos? O que você acha que os casamentos estão enfrentando agora que eles podem não ter enfrentado há vinte anos atrás?

WS: Há, provavelmente, muitas pressões culturais que fazem o casamento diferente do que era até 15 ou 20 anos atrás. Vou apenas apontar um, porque é uma das mais insidiosas. Eu vi uma e outra vez quão poderosa e destrutiva a pornografia está nos casamentos. Claro, a pornografia existe a mais do que 20 anos, mas o que mudou nos últimos 20 anos é a tecnologia. No passado havia uma barreira de vergonha que você tinha que estar dispostos a cruzar. Para realmente se jogar na pornografia, você tinha que ir para uma parte diferente da cidade. Você tinha que sair de  carro, entrar numa loja e estar disposto a ser visto. Seu nome e seu rosto estariam associados com o material que você fosse o manusear. Agora parece quase anonimato garantido. Não é apenas disponível para você, é quase invasivo. É promover a si mesmo. Ela irá aparecer em seus e-mails. Ela vai aparecer no menu do filme no quarto do hotel. Provavelmente quão melhor for o hotel, mais fácil será para ver pornografia e mais descaradamente ela é exibida.

A pornografia está na ofensiva contra você. Ela está vindo atrás de você. Então você tem que ter motivos reais para dizer não a ela, não só porque você vai ser pego. Isso não é uma razão suficiente, porque você vai ter a oportunidade de entrar secretamente da mesma maneira. O modo de pornografia mudou, e a mensagem tornou-se amplificada. Sem ser específico, quem viu, pornografia provavelmente sabe do que estou falando. A pornografia é, em última instância sobre as relações anônimas e sem sentido, onde todo o foco é a satisfação pessoal.man woman hands holding broken heart

O sexo é maravilhoso, mas o sexo é destinado por Deus para comunicar significado e propósito. Destina-se a comunicar o compromisso de Deus, a aliança e sacrifício de amor, carinho e cuidado. Não se pretende comunicar uma liberdade para fazer o que você quer fazer com o foco em si mesmo, e se envolver em anonimamente em relacionamentos sem sentido. Você pega as mensagens anti-relacionais da pornografia as põe junto com um elevado conjunto fisiológico e você tem algo realmente desagradável em suas mãos. Ela não apenas escraviza tempo de uma pessoa, mas também da vida e do pensamento. Ela começa a invadir o resto de suas relações. Aquelas mesmas mensagens de conveniência, prazer e “auto-foco” dão vazamentos em toda a sua vida -  Elas não ficam apenas em seu computador.

9M: Você tem algum conselho para dar a pastores e igrejas para que tomem a ofensiva – jeitos com que elas podem ser pró-ativas na batalha contra a pornografia?

WS: Acho que uma das maneiras que as igrejas devem trabalhar contra essa ameaça, de maneira bem simples, é começar a falar sobre isso. E não apenas falar sobre isso como algo que está lá fora, na cultura, mas falar sobre isso como algo que vem atrás de nós como indivíduos e famílias da igreja. Criar fóruns / espaços onde as pessoas que estão lutando com ele possam falar sobre isso sem vergonha ou tratados como cidadãos de segunda classe. Criar uma conversa aberta onde este problema é tratado com o mesmo cuidado, preocupação e carinho como qualquer outro pecado e lutas.

Este é um passo muito simples, mas ousado. Você precisa dizer: “Nós vamos falar sobre isso como se fosse um problema na nossa igreja, porque ele é”. É um fato. Naturalmente, esta conversa deve ocorrer como parte da cultura maior do discipulado e da responsabilidade que os pastores devem cultivar em suas igrejas.
Então seja realmente prático em dar ferramentas para que as pessoas façam algo a respeito:

• Se você tiver uma conexão de Internet em sua casa, pense nisso como um portal para uma loja de livros XXX. Você tem uma porta de sua casa que leva a uma loja de livros adultos se você tiver uma conexão de internet, televisão a cabo ou por satélite. Portanto, é preciso tratá-la como uma porta que precisa ser guardada e trancada. É bom se divertir com o computador, mas você precisa saber o que você está fazendo e por que você está fazendo o que está fazendo no computador. Você não está apenas passeando em seu computador;
• Limitar o acesso privado para o computador. Se você tiver um computador de mesa, coloque-o em uma área de família, com a tela virada para o meio da sala.
• Há todos os tipos de softwares disponíveis que são eficazes, mas nenhum software é infalível. Existem várias opções de software que são eficazes em erguer uma barreira (amarrando alguns arames farpados). Se quebrar, é porque você queria romper – não porque você estava aprisionado.

Há todos os tipos de coisas básicas que podemos fazer para nos proteger, mas parece que estamos andando ao redor das igrejas com ingenuidade. As pessoas estão assumindo: “Ninguém está falando sobre ela (pornografia) então não deve ser um problema.” Tenho visto inúmeros exemplos de pastores e administradores da igreja, que foram enganados pela pornografia. Já aconselhei pessoas que trabalham com limpeza e que entram nos computadores à noite para olhar pornografia nos lugares que estão limpando.

Espero que, algumas destas sugestões sejam úteis na batalha contra este problema prevalente.

CONSTRUINDO CASAMENTOS SAUDÁVEIS

9M: Como construir uma cultura de casamento saudável nos casamentos da igreja? Quais são os passos práticos que pastores podem buscar para construir um casamento saudável?

WS: Eu acho que sempre que você considerar como fazer algo na igreja, você deveria começar com: como faço para dar exemplo? Não pule para um programa. Não vá direto para uma estrutura. Considere o seguinte:

  1. Como eu vivo meu casamento na frente do meu povo?
  2. Como isso aparece no púlpito?
  3. Eu ministro sobre casamento no púlpito?
  4. Eu falo sobre relacionamentos que tem propósitos no púlpito?
  5. Eu ajudo as pessoas entenderem, do púlpito, o que a graça e o amor parecem no dia-a-dia e detalhes da vida?

Todos amamos pregações que têm histórias engraçadas ou até piadas. O que realmente precisamos são aplicações que sejam reais, até na forma como você fala com os outros. Como você luta com os outros? Como você os perdoa? Como você lida no dia-a-dia de onde você vive?

Traduzido por Rafael Bello

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.