Casamento definido

por Mike Leake

Mike Leake
Mike Leake

Não é segredo que os casamentos estão sob o ataque do mundo. Não é uma surpresa, já que o casamento é uma ilustração visível de Cristo e Sua Igreja. Que lugar ótimo para as forças do inferno lançarem seus dardos inflamados. Como resposta a isso, nossa igreja tenta realizar, no mínimo, duas conferências sobre casamento por ano (com esperanças de termos mais). E eu fiquei incumbido de usar recursos diversos e montar um currículo para a conferência.

Nossa primeira sessão é “O que é casamento?”. Nesta sessão, nós tentamos chegar conjuntamente a uma teologia do casamento. Começamos definindo “casamento”. Até onde eu sei, essa definição é original. Eu gostaria de compartilhá-la com vocês e depois explicá-la um pouco – espero que para seu benefício.

Casamento é uma aliança pactual, criado por Deus, entre um homem e uma mulher, para a nossa santidade e nossa alegria, como uma ilustração do Evangelho para expressão da glória de Deus.

Se eu pegar essa definição separadamente, posso chegar a sete afirmações individuais (e elas são usadas como pontos principais para o ensino da primeira sessão).

  1. Uma aliança pactual – Alianças são um assunto muito importante para Deus. A quebra de um pacto é também uma questão muito importante para Deus. Para ter uma noção de como pacto é uma questão importante, considere Gênesis 15. O Senhor passa por uma série de animais que estão rasgados pela metade e praticamente diz: “Se eu quebrar meu pacto, o que aconteceu com esses animais, acontecerá comigo”. Os pactos são muito importantes.
  2. Criado por Deus – Se os homens tivessem criado o casamento, então, poderíamos estabelecer suas regras. Mas o casamento é uma aliança pactual criada por Deus e, sendo assim, Ele é quem estabelece as regras. Deus criou o seu casamento, então pare com essa conversa tola de “casei com a pessoa errada”.
  3. Entre um homem e uma mulher – Os dois devem se tornar um. Isso significa separar-se dos pais, de relacionamentos passados, de relacionamentos futuros e de qualquer outro amante. Isso também vai contra qualquer argumento sobre homossexualidade ser chamada de casamento.
  4. Para nossa santidade – O casamento é um dos meios que Deus estabeleceu para nos santificar. Deus não fica satisfeito meramente com termos um “bom” casamento. Deus deseja usar nosso casamento para nos conformar mais e mais à imagem de Cristo. Deus tem um plano de resgate para o seu casamento. O objetivo dEle não é apenas resgatar o seu casamento. O objetivo dEle é usar o seu casamento para te resgatar.
  5. Para nossa alegria – Nossa alegria aumenta quando nós, em santidade, lutamos pela alegria do outro. O casamento pode ser extremamente feliz. Apenas leia os Cânticos dos Cânticos de Salomão para você ver. Além disso, se o casamento promove a santidade, ele também irá promover nossa alegria em Deus.
  6. Como uma ilustração do evangelho – Seu casamento reflete Cristo e Sua igreja. Ele foi criado por Deus para ser uma ilustração visível para todos verem o amor entre Cristo e Sua Noiva.
  7. Para expressão da glória de Deus – O propósito de Deus para a humanidade é que ela goze de Sua glória e a proclame. Com o casamento não é diferente. Ele usa o casamento para arrancar o pecado e a incredulidade do nosso coração. Ele usa o casamento para prolongar nossa alegria. Mas Ele também usa o casamento para fazer crianças, para elas crescerem e serem nutridas em lares cristãos.

Seu casamento tem propósito. Ele tem um significado. Não desista do seu casamento. Não pare de lutar pelo seu casamento. Saiba que Deus também está lutando por ele. Tenha fé nEle e vá em frente.

Aprecie o seu casamento. Deus está usando-o para mostrar Sua grandeza. Regozije-se no fato de que Deus está usando a união de dois pecadores para mostrar Sua incomparável grandeza e Seu amor trinitariano. O casamento é doce. Saboreie-o. Prove e veja que o Senhor é bom.

Tags: , ,

Traduzido por Fernanda Vilela | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.