Conforto a pais cujos filhos não foram convertidos

por Jim Elliff

O desejo de todos os pais cristãos é que Deus mostre algo que pudéssemos fazer para assegurar a salvação de nossos filhos, então “nós faríamos isso com todas as nossas forças” porque amamos muito os nossos filhos. Entretanto, Deus não fez com que a salvação fosse consequência da fé de terceiros; nossos filhos e filhas devem vir a Cristo por conta própria. João nos mostra que todos os cristãos são nascido na família de Deus, “não do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” (João 1.13).

Embora a salvação seja trabalho de Deus e não algo que nós possamos fazer por nossos filhos, há esperança. Considere o seguinte:

1. Uma verdadeira “batalha” de oração por seu filho é um dom de Deus. Uma batalha persistente pode ser um indicativo de que Deus pretende dar a nosso filho a vida eterna, pois orações autênticas sempre partem de Deus. Mesmo que não possamos ter certeza absoluta do que Deus está fazendo, devemos ser otimistas caso a batalha continue.

2. O milagre do novo nascimento não é menos possível para Deus se os nossos filhos estão atentos a Ele ou se estão correndo Dele. Nosso filho é como os demais com relação à graça de Deus. Ele está morto espiritualmente, esteja ele na igreja ou não, ouça ele as verdades que nós estamos tentando ensiná-lo ou não, tenha ele, agora, algum interesse em Deus ou tenha nenhum sequer. Ele pode ser convertido no chiqueiro ou no banco da igreja. Nós não sabemos, nesse caso, a preferência de Deus.

3. Deus ouve nossas orações. Embora Deus nos ensine que ele escolheu os dele antes da fundação do mundo, Ele também nos ensina que devemos orar, e não somente isso, que devemos aguardar a resposta para as nossas orações. É verdade que Deus é soberano e também o é que Ele responde às orações. Na verdade, ele não poderia responder às preces se ele não estive no controle de tudo.

4. Nós devemos ter esperança, pois Deus elege aqueles que serão seus. Todo filho está a caminho do inferno, a não ser que Deus o impeça. A eleição de Deus é nossa amiga. Nós não teríamos esperança pela salvação de nossos filhos sem isso, pois nenhum filho se voltaria a Cristo se fosse deixado em sua depravação (Romanos 3.9-11). Mas por Deus eleger um povo por si mesmo, nós podemos ser encorajados.

5. Seu filho tem um certo conhecimento do que significa ser um verdadeiro cristão. O Espírito certamente poderá usar isso se esse for o método escolhido. Não é menos miraculoso a conversão de um filho bem informado do que a de um com pouco conhecimento. Em todas as conversões, Deus sempre usa a semente do evangelho.

6. A sua desobediência no passado, no final das contas, não será o que impedirá seu filho de crer. É sem sentido repreender-se por algum comportamento errado de sua parte como se isso fosse a razão pela qual seu filho não tem a Cristo. Isso não significa que, como pais, não devamos nos arrepender e fazer melhor; ou até mesmo admitir o erro para os nossos filhos. Mas a razão pela qual seu filho está sem Cristo está, em última análise, relacionada ao pecado dele ou dela. Todo pai cristão é inconsistente de alguma forma, e está no processo de santificação, o que os deixa aquém da perfeição. Isso nunca foi uma barreira para Deus desejar salvar seu filho. São vários os exemplos de filhos que vieram de famílias bem menos piedosas e que acabaram sendo convertidos a Cristo. Na verdade, talvez esse tenha sido o seu caso.

7. Talvez alguns filhos precisem da experiência de estar longe do cuidado de Deus para que percebam a necessidade de se achegarem a Cristo. O sentimento de necessidade em muitos talvez só seja descoberto em um contexto de dificuldades. Não deveríamos nos surpreender se isso requerer um voo solo antes de o filho ou filha aprender que ele ou ela realmente necessita de outro piloto.

8. Lembre-se de que há várias pessoas que são gratas pela história que tiveram antes de virem a Cristo. Não estou dizendo que essas pessoas não desejariam terem sido convertidas antes, mas a dor de sua história pré-conversão deu-lhes compaixão, entendimento, conhecimento, testemunho e uma bagagem  que talvez eles não adquirissem de outra forma.  Eles viram a sabedoria de Deus no momento em que foram convertidos. Talvez seja assim também com seu filho. Paulo disse que houve uma razão pela qual ele foi escolhido, mesmo ele tendo sido assassino, blasfemo e um agressor violento – para que aquelas pessoas viessem e tivessem a esperança de que Deus pode salvar a qualquer um. Deus tem uma jornada única para cada filho.

9. Você não pode salvar seu filho por si próprio, não importa o quanto você tente. Você está numa posição de apenas confiar. Isso é bom, pois é a única forma de agradar a Deus (Heb. 11.6). Descansar em Deus enquanto, simultaneamente, você ora ao Deus que atende a preces será um encorajamento a outras pessoas na mesma situação. Isso também vai ajudá-lo a responder de forma mais positiva ao seu filho, e fará a sua vida bem mais prazerosa do que ansiedade faria.

10. Finalmente, lembre-se que Deus tem um propósito em todos os seus feitos. Nós um dia iremos nos regozijar por Deus ter feito um trabalho perfeito em comandar o universo. Quando entendermos isso e colocarmos Deus acima de nossos filhos, nós vamos realmente demonstrar a eles como um cristão deve viver.

Tags: , , ,

Traduzido por Victor Bimbato | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.