Cristo e Cultura: Uma Releitura

por Trevin Wax

Trevin Wax
Trevin Wax

Por mais de cinquenta anos, a obra clássica de H. Richard Niebuhr Christ and Culture (Cristo e Cultura) tem influenciado o entendimento evangélico de como relacionar a fé cristã com as culturas em que vivemos. O novo livro de D. A. Carson, Cristo e Cultura: Uma Releitura tem um olhar crítico sobre o trabalho de Niebuhr. Ele resume o livro de Niebuhr, oferece uma crítica oportuna, e usa o livro como um trampolim para questões contemporâneas.

Livro de Carson é tanto um novo Cristo e Cultura quanto é uma crítica do trabalho de Niebuhr. Estudando as forças dominantes culturais do nosso tempo e dialogando com os debates sobre “cultura” e “pós-modernismo”, Carson atualiza, altera e indiscutivelmente substitui o trabalho de Neibuhr, pelo menos em termos de sua relevância contemporânea.

No capítulo 1, Carson estabelece os cinco paradigmas de Niebuhr para a compreensão da relação entre Cristo e a cultura: Cristo contra a cultura, Cristo da cultura e Cristo acima da cultura (um paradigma que inclui os dois últimos como subconjuntos: Cristo e cultura em um Paradoxo e Cristo: o transformador da cultura).

No capítulo 2, a proposta crítica de Carson a Niebuhr, principalmente mostrando como aqueles no paradigma Cristo da Cultura (os gnósticos, os liberais clássicos, etc.) em grande parte abandonaram o cristianismo completamente. Ele também critica o manuseio de Niebuhr das Escrituras, especificamente – a sua defesa do paradigma Cristo: o transformador de Cultura. Carson argumenta contra a mentalidade “um único tamanho veste a todos”, em vez disso, ele acredita que as Escrituras podem advogar alguns elementos em uma situação e outros elementos em outra. Mas Carson não crítica Niebuhr apenas. Ele estabelece os grandes momentos históricos que formam o coração da compreensão cristã do mundo, argumentando que estes não são negociáveis à teologia bíblica.

No capítulo 3, Carson define “cultura” e, em seguida, refina nossa compreensão do “pós-modernismo”. Ao final do capítulo, as luvas são retiradas. Discutindo epistemologia, Carson debate vigorosamente contra a epistemologia de James Smith que está surgindo agora na Igreja Emergente.¹

cristo e cultura_gOs capítulos 4 e 5 tratam de questões contemporâneas na sociedade de hoje. O que os cristãos podem fazer em relação à secularização? Por que é importante que nós não equiparemos nosso governo democrático com o Reino de Deus? Por que a liberdade é perigosa? Carson dedica um capítulo inteiro a questões de Igreja e Estado, conseguindo apreciar e ainda criticando fortemente nossos ideais ocidentais de liberdade e prosperidade, tudo a partir de uma perspectiva bíblica.

No capítulo final, Carson expõe alguns dos modelos específicos de pensamento em relação a Cristo e a cultura. Ele chama esses modelos de “opções” enquanto os avalia e alerta contra certos aspectos de cada um.

Cristo e Cultura: Uma Releitura é uma adição valiosa para a biblioteca de estudos profundos do pastor. Carson prestativamente resume e critica o trabalho de Niebuhr. Mas, mais do que isso, ele oferece conselhos sólidos sobre como navegar nas águas turvas de um Cristianismo culturalmente desbotado no Ocidente.

N.E.: O Voltemos ao Evangelho postou uma excelente palestra com Franklin Ferreira sobre esse mesmo assunto. Vale a pena conferir.

¹ Há uma resposta/resenha de Smith a D.A. Carson aqui

Traduzido e gentilmente cedido por Hélio Sales | iPródigo.com | original aqui

Tags: , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.