Deus é misericordioso por não nos contar tudo

Jon Bloom

Jon Bloom

Há mais misericórdia do que imaginamos quando Deus decide não nos contar tudo. Quando os discípulos estavam com Jesus no Monte das Oliveiras, logo antes de sua ascensão ao Pai, um deles fez uma pergunta que provavelmente estava na cabeça de todos: “Senhor, é neste tempo que vais restaurar o reino a Israel?” (Atos 1.6)

Havia sido uma longa espera. Já havia se passado 2000 anos desde que Abraão recebera a promessa de uma semente que abençoaria todas as famílias da terra. 1500 anos desde a profecia de Moisés que um grande profeta surgiria para liderar o povo e 1000 anos desde que Davi recebera a promessa de um herdeiro eterno para seu trono.

Agora, após a ressurreição gloriosa e triunfal de Jesus, eles finalmente entenderam que o Rei tinha que sofrer e morrer antes que o reino viesse. Jesus era o Cordeiro sacrificial de Deus, cuja morte iria expiar os pecados de seu povo para sempre.

Tudo fazia glorioso sentido.

O palco estava preparado. Tendo conquistado a morte, o Rei era invencível. Que resistência poderia oferecer o Sinédrio, Herodes, Pilates ou César? Certamente o tempo havia chegado em que o tão aguardado Rei iria assumir seu reino terreno, certo?

A resposta de Jesus: “Não lhes compete saber os tempos ou as datas que o Pai estabeleceu pela sua própria autoridade. Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.” (Atos 1.7-8)

Em outras palavras, “Agora não é a hora. E vocês não precisam saber quando será. Por hora, eu tenho um trabalho para vocês fazerem”.

Você pode imaginar como os discípulos se sentiriam se o Senhor explicasse para eles que não assumiria seu reinado terreno por, pelo menos, mais 2000 anos, período no qual a Igreja iria, por meio de lutas e sacrifícios, crescer e se espalhar por todo o mundo? 2000 anos!

Deus é misericordioso ao não nos contar tudo. Ele nos diz o suficiente para nos sustentar se confiarmos nele. Mas às vezes não nos parece o suficiente. Realmente pensamos que deveríamos saber mais.

Em seu livro The Hiding Place, Corrie Ten Boom se recorda de uma vez que, quando era criança, estava voltando pra casa de trem, com seu pai, após acompanhá-lo em uma compra de peças para seu negócio de conserto de relógios. Ela pediu que ele explicasse como as crianças nasciam. Seu pai se levantou e pegou a sacola com as peças que havia comprado:

“‘Você pode carregar essa sacola para mim, Corrie?’, ele disse. Eu me levantei e agarrei-a. Estava cheia de relógios e peças soltas que ele havia comprado naquela manhã. ‘É muito pesada’, eu disse. ‘Sim,’ ele disse. ‘E eu seria um pai muito ruim se pedisse para que a minha filhinha carregasse um peso assim. É a mesma coisa, Corrie, com o conhecimento. Certos conhecimentos são pesados demais para crianças. Quando você for mais velha e mais forte, você poderá carregá-los. Por hora, confie em mim para carregá-los para você”.

Deus também é um pai Sábio que sabe quando o conhecimento é pesado demais para nós. Ele não está nos enganando quando não dá uma explicação completa. Ele está levando nossos fardos (1 Pedro 5.7). Se entendermos que nossos fardos são pesados demais, deveríamos confiar nele para carregá-los. O fardo que ele nos dá para carregar é leve (Mateus 11.30).

Deus é muito paciente e misericordioso conosco. Um dia, quando formos mais velhos e mais fortes, ele nos deixará carregar mais peso de conhecimento. Mas até lá, deixemos alegremente que ele continue carregando o peso por nós.

Traduzido por Filipe Schulz | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.