Jovens pastores e a esperança para o futuro

por Albert Mohler Jr.

Albert Mohler, presidente do Seminário Teológico Batista do Sul
Albert Mohler, presidente do Seminário Teológico Batista do Sul

Hoje passei algumas poucas horas, mas encorajadoras, com um grupo de jovens pastores – homens que estão sendo tremendamente usados por Deus para alcançar sua própria geração, e muito mais. Essa experiência me deixou muito grato, e me levou a pensar sobre o porquê dos batistas do sul [NT: dos EUA] deveriam ser realmente gratos pelo surgimento dessa geração de jovens pastores.

1. Eles estão profundamente comprometidos com o Evangelho e a autoridade das Escrituras. São homens levados por convicções e a habilidade de “ligar os pontos” teologicamente. Entendem a ameaça do liberalismo teológico e não querem nada com ela. Amam o Evangelho e se agarram fortemente a ele. São encorajados por uma teologia bíblica que os leva a alegria e os firma na verdade.

2. Eles amam a igreja. Esses são pastores resistiram à tentação de desistir da igreja ou se satisfazerem com alguma forma paralela de ministério. Amam as pessoas, amam a igreja, e vêem o Corpo de Cristo como parte do propósito redentivo de Deus. Gostam do árduo trabalho da igreja e não se intimidam. Eles entendem a alegria de uma autêntica comunidade Cristã e dão suas vidas por ela. Estão resgatando uma eclesiologia bíblica em sua totalidade. Afirmam e praticam a disciplina da igreja. Eles vêem a glória de Deus em uma congregação de várias gerações de crentes crescendo juntos em fé.

3. Eles são pregadores e professores abençoados. Eles distribuem a Palavra da Verdade de forma justa e não de desculpam por pregar a Bíblia. São dedicados à pregação expositiva e sabem, de fato, o que ela significa. Nem sempre usam o púlpito, mas tem algo importante para dizer quando se dirigem à congregação.

4. São ávidos evangelistas. São levados por uma urgência de ver pessoas perdidas se achegando ao conhecimento de Jesus para se tornarem crentes e discípulos. São inovadores em suas metodologias por entenderem o Evangelho de Jesus Cristo. Eles afirmam que Jesus é sim, o Caminho, a Verdade, e a Vida, e eles sabem que não há outro Evangelho que salve.

5. São complementaristas que acreditam nos papéis dos homens e das mulheres tanto na igreja como no lar. Amam o casamento como dom de Deus e a bênção dos filhos, e deixam claro que o discipulado Cristão requer fidelidade no casamento, na família, na educação dos filhos e na sexualidade, e abraçam os ensinamentos que a Bíblia propõe para o homem e a mulher nesses assuntos. Além disso, motivam os homens mais novos a também abraçarem esses ensinamentos de Deus para suas vidas. Falam abertamente sobre sua felicidade com suas esposas e filhos. Eles trocam fraldas.

6. São homens de visão. Usam inteligência e discernimento para levantarem igrejas e para a causa do Evangelho. Eles enxergam e aproveitam as oportunidades. Estão plantando e construindo igrejas que glorificam a Deus ao alcançar o mundo, pregar o evangelho e transformar vidas. São crentes inovadores. Amam desafios. Ficariam constrangidos se tivessem objetivos pequenos.

7. São homens de alcance global e grande paixão pela Grande Comissão. Desejam ansiosamente ver as nações exaltando a Cristo. Nunca ouviram falar de um mundo com fronteiras fixas e alvos nacionais. Com muito anseio enviam, vão, e dão. Recusam-se a deixar suas congregações se fixarem em si mesmas. Olham para os povos não alcançados e ouvem seu clamor.

8. São homens felizes. Estar com eles é sentir sua alegria e falta de cinismo. Não estão interessados em reclamar da igreja. São plantadores e edificadores. Alguns ficam em dúvida com quando vêem tantas estruturas e hábitos denominacionais, mas não desistem.

Muitas denominações olham para a nova geração e se perguntam se verão verdadeiros pastores, ou se esses novos pastores amarão o Evangelho, pregarão a Palavra e se terão comprometimento com a igreja e a grande comissão. Batistas do Sul têm a bênção de olhar para a nova geração de pastores e verem tanto disso que ficam muito satisfeitos, felizes, e ansiosos pelo amanhã. Quanto mais novo você vai à Convenção Batista do Sul, mais convicção você descobre. Esses jovens são fonte de muita alegria.

Vou dormir essa noite após ser encorajado pelo tempo que passei com esses jovens pastores. Vejo o levantar dessa geração todos os dias no campus do Seminário Batista. Também sei que nada disso estaria acontecendo se uma geração de pastores e líderes da Convenção Batista do Sul não tivesse combatido o bom combate e recuperado essa denominação pela causa da verdade e da autoridade da Bíblia, e da inerrância do Evangelho.

Tudo isso fará certo homem aqui dormir muito tranquilamente.

Traduzido por Filipe Schulz

Jovens pastores e a esperança para o futuro
Hoje passei algumas poucas horas, mas encorajadoras, com um grupo de jovens pastores – homens que estão sendo tremendamente usados por Deus para alcançar sua própria geração, e muito mais. Essa experiência me deixou muito grato, e me levou a pensar sobre o porquê dos batistas do sul [NT: dos EUA] deveriam ser realmente gratos pelo surgimento dessa geração de jovens pastores.
1. Eles estão profundamente comprometidos com o Evangelho e a autoridade das Escrituras. São homens levados por convicções e a habilidade de “ligar os pontos” teologicamente. Entendem a ameaça do liberalismo teológico e não querem nada com ela. Amam o Evangelho e se agarram fortemente a ele. São encorajados por uma teologia bíblica que os leva a alegria e os firma na verdade.
2. Eles amam a igreja. Esses são pastores resistiram à tentação de desistir da igreja ou se satisfazerem com alguma forma paralela de ministério. Amam as pessoas, amam a igreja, e vêem o Corpo de Cristo como parte do propósito redentivo de Deus. Gostam do árduo trabalho da igreja e não se intimidam. Eles entendem a alegria de uma autêntica comunidade Cristã e dão suas vidas por ela. Estão resgatando uma eclesiologia bíblica em sua totalidade. Afirmam e praticam a disciplina da igreja. Eles vêem a glória de Deus em uma congregação de várias gerações de crentes crescendo juntos em fé.
3. Eles são pregadores e professores abençoados. Eles distribuem a Palavra da Verdade de forma justa e não de desculpam por pregar a Bíblia. São dedicados à pregação expositiva e sabem, de fato, o que ela significa. Nem sempre usam o púlpito, mas tem algo importante para dizer quando se dirigem à congregação.
4. São ávidos evangelistas. São levados por uma urgência de ver pessoas perdidas se achegando ao conhecimento de Jesus para se tornarem crentes e discípulos. São inovadores em suas metodologias por entenderem o Evangelho de Jesus Cristo. Eles afirmam que Jesus é sim, o Caminho, a Verdade, e a Vida, e eles sabem que não há outro Evangelho que salve.
5. São complementários que acreditam nos papéis dos homens e das mulheres tanto na igreja como no lar. Amam o casamento como dom de Deus e a bênção dos filhos, e deixam claro que o discipulado Cristão requer fidelidade no casamento, na família, na educação dos filhos e na sexualidade, e abraçam os ensinamentos que a Bíblia propõe para o homem e a mulher nesses assuntos. Além disso, motivam os homens mais novos a também abraçarem esses ensinamentos de Deus para suas vidas. Falam abertamente sobre sua felicidade com suas esposas e filhos. Eles trocam fraldas.
6. São homens de visão. Usam inteligência e discernimento para levantarem igrejas e para a causa do Evangelho. Eles enxergam e aproveitam as oportunidades. Estão plantando e construindo igrejas que glorificam a Deus ao alcançar o mundo, pregar o evangelho e transformar vidas. São crentes inovadores. Amam desafios. Ficariam constrangidos se tivessem objetivos pequenos.
7. São homens de alcance global e grande paixão pela Grande Comissão. Desejam ansiosamente ver as nações exaltando a Cristo. Nunca ouviram falar de um mundo com fronteiras fixas e alvos nacionais. Com muito anseio enviam, vão, e dão. Recusam-se a deixar suas congregações se fixarem em si mesmas. Olham para os povos não alcançados e ouvem seu clamor.
8. São homens felizes. Estar com eles é sentir sua alegria e falta de cinismo. Não estão interessados em reclamar da igreja. Não plantadores e edificadores. Alguns ficam em dúvida com quando vêem tantas estruturas e hábitos denominacionais, mas não desistem.
Muitas denominações olham para a nova geração e se perguntam se verão verdadeiros pastores, ou se esses novos pastores amarão o Evangelho, pregarão a Palavra e se terão comprometimento com a igreja e a grande comissão. Batistas do Sul têm a bênção de olhar para a nova geração de pastores e verem tanto disso que ficam muito satisfeitos, felizes, e ansiosos pelo amanhã. Quanto mais novo você vai à Convenção Batista do Sul, mais convicção você descobre. Esses jovens são fonte de muita alegria.
Vou dormir essa noite após ser encorajado pelo tempo que passei com esses jovens pastores. Vejo o levantar dessa geração todos os dias no campus do Seminário Batista. Também sei que nada disso estaria acontecendo se uma geração de pastores e líderes da Convenção Batista do Sul não tivesse combatido o bom combate e recuperado essa denominação pela causa da verdade e da autoridade da Bíblia, e da inerrância do Evangelho.
Tudo isso fará certo homem aqui dormir muito tranquilamente.

Tags: , , , , , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.