Matando o Rei

por Jesse Johnson

Deus fez as pessoas com o propósito de se deleitarem em sua glória. Nos deleitamos em sua glória nos alegrando em seu caráter e crendo pela fé em suas promessas. A natureza dessa fé resulta em ódio ao pecado, bem como em uma ansiosa alegria de aprender mais sobre Deus.

Mas, por causa do pecado, a fé não vem naturalmente. De fato, pessoas se rebelam contra Deus, e frequentemente o rejeitam juntamente com as suas promessas. Quando isso acontece, pecadores não se contentam com o vácuo – em vez disso, procuram substituir a alegria que só pode ser encontrada em Deus por uma busca dessa alegria em outros lugares.

Às vezes, perseguem o pecado em flagrante, às vezes acreditam em homens falíveis, outras vezes procuram sentido e plenitude na autojustificação farisaica.

Isso é chamado de idolatria, e ídolos sempre (e previsivelmente) falham, e quando eles falham as pessoas se voltam contra eles e até contra Deus. Eles culpam Deus, aumentam seu ódio por ele e rejeitam ainda mais as suas promessas.

Essa cena foi vista nas paginas de 1 Samuel. Desde o chamado de Abraão até o nascimento de Davi, Israel não tinha nenhum rei além de Deus. No entanto, ao longo dos dias dos Juízes, eles rejeitaram Deus, e finalmente exigiram que Deus os desse um rei para que os governasse “como as outras nações possuem”. Deus atendeu o pedido e lhes deu Saul.

Previsivelmente, Saul falhou como rei. Ele não trouxe paz com seus inimigos nacionais. Nem tampouco ele trouxe paz internamente. Ele não levou o povo em direção à fidelidade da aliança com Deus. Quando a sua rebeldia culminou em um flagrante ato de desobediência, foi dito a Saul disse que ele já não seria mais o rei, e em seu lugar Israel receberia o seu primeiro rei piedoso, um homem segundo o coração de Deus.

O que se segue em 1 Samuel 17-31 é a história de como todos tentaram matar o rei. Saul se voltou contra Davi – o verdadeiro rei – e tentou matá-lo em uma vã tentativa de desfazer a promessa que Deus fez de uma vez por todas. Mas quanto mais Saul tentava matar Davi, mais ele se matava. Ele acabou cada vez mais longe do Senhor, até que finalmente morreu em uma tola batalha. Sua vida foi uma das muitas vítimas da guerra de Israel contra o Senhor, o seu verdadeiro rei.

Assim, a ultima metade de 1 Samuel é sobre matar o rei. Saul atentou contra a vida de Davi, Israel tentou se ver livre de Deus, e o verdadeiro rei não encontrou nenhum lugar seguro e foi forçado a fugir (e até mesmo a fingir sua própria morte). Não deveria nos surpreender o fato de que todos falharam na tentativa de derrubar Deus. O Seu Rei tomaria o trono, e edificaria o reino eterno.

Se você fez de um ídolo o seu rei (ou o seu rei de ídolo), não se surpreenda que no final de sua vida você perceba que tudo pelo que você viveu falhou, e apenas o reino de Deus permanece. Seu reino não pode ser abalado, e ao tentar matar o rei de Deus, você estará apenas matando a si mesmo.

Tags: , , , , ,

Traduzido por Marianna Schulz | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.