Natal: o verbo tabernaculou entre os homens

por Mike Riccardi

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós (João 1.14)

Se lermos esse verso em nossa leitura diária da Bíblia, provavelmente iremos passar adiante sem muito rodeio. Lemos, simplesmente, que Jesus “habitou” entre nós. E quando pensamos na ideia de “habitação”, pensamos apenas em “passou por aqui”. Mas há muito mais acontecendo nisso que João descreve do que a leitura indica inicialmente. Ele usa uma palavra peculiar aqui. Há outras palavras mais comuns no grego para “habitar”, mas ele escolheu skēnoō. A palavra skēnē, no grego, significa “tenda”, e skēnoō é sua forma verbal. Então poderíamos entender como “erguer uma tenda”. João nos diz que o Verbo se tornou carne e ergueu sua tenda entre nós.

Essa é uma forma estranha de se falar, não? Especialmente porque não temos nenhum trecho da Escritura que diga que Jesus, de fato, ergueu alguma tenda literal durante seu período na Terra. Por que falar dessa forma? Ele tinha, pelo menos, duas outras palavras mais comuns que poderiam ser usadas aqui. Mas João usa essa palavra em particular porque ele deseja que seus leitores – que estariam familiarizados com a história de Israel – se lembrem do tabernáculo, a tenda da congregação, onde Deus se encontrava com os israelitas no Antigo Testamento.

O tabernáculo

O tabernáculo em si era coberto por uma grande tenda, que foi originalmente chamada de “tenda da congregação”. Ela tinha 4,5 metros de largura, 4,5 de altura e 13,5 de comprimento. A entrada era encoberta por uma cortina, ou um véu, feita de linho fino e pigmentos caros. Quando um sacerdote entrava no tabernáculo, ele entrava no santo lugar. Essa era uma sala de 4,5 x 4,5 x 9 metros que continha a mesa onde ficava o Pão da Proposição (Êxodo 25.23-30), o candelabro (Êxodo 25.31-40) e o altar do incenso (Êxodo 30.1-5; 37:25-29), tudo coberto de puro ouro. Depois dessa sala ficava o santo dos santos – um cubo de 4,5m contendo apenas a Arca da Aliança (Êxodo 25.10-25; 37:1-9).

Êxodo 29

Esse era o tabernáculo físico. Mas em Êxodo 29, aprendemos algo sobre seu significado. Ali, Deus está falando sobre o que o tabernáculo será para os filhos de Israel:

Êxodo 29.42 – Um lugar de congregação

Êxodo 29.42 – Um lugar de revelação

Êxodo 29.43 – Um lugar de consagração e santificação

Êxodo 29.44 – Um lugar de propiciação

E Êxodo 29.45,46 dá o significado de Deus habitando entre Seu povo. Ele diz que a razão de ter os tirado da terra do Egito era pra que Ele pudesse habitar entre eles. O tabernáculo é algo importante.

Êxodo 33

No capítulo 33, aprendemos um pouco mais. O verso 7 diz que todos que buscavam O SENHOR iam até o tabernáculo. Esse era o lugar onde Israel poderia ter comunhão com seu Deus. E o verso 8 diz que, quando Moisés entrava na tenda, todos o acompanhavam com o olhar. Eles paravam tudo que estivessem fazendo. “Moisés está entrando na tenda da congregação!”. Eles ficavam maravilhados.

E corretamente! O verso 9 explica que, sempre que ele entrava, uma coluna de nuvem descia (que coisa fantástica isso deveria ser!). Novamente vemos o tabernáculo como um lugar de condescendência. Mais adiante, o texto nos diz que O SENHOR falava com Moisés. Revelação novamente, Deus falando com Seu povo. O verso 10 nos diz que todo o povo adorava quando viam a glória dO SENHOR revelada na coluna de nuvem. Novamente vemos um lugar de adoração. E, finalmente, nos é dito que O SENHOR falava com Moisés face a face, assim como um homem fala com seu amigo. Aqui vemos um lugar de comunhão íntima.

Êxodo 40

Finalmente, em Êxodo 40, temos o clímax da história. Tudo que Israel ouvira até agora dizia respeito ao que o tabernáculo seria quando estivesse pronto. No capítulo 40, a construção foi terminada e, com todo Israel assistindo, a glória de Deus enche o tabernáculo:

Então, a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo. Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porque a nuvem permanecia sobre ela, e a glória do SENHOR enchia o tabernáculo. (Êxodo 40.34-35).

Agora O SENHOR desce sobre Seu lugar de habitação, Seu tabernáculo. A glória desce de tal forma que nem mesmo Moisés, que já havia entrado na nuvem antes, que já tinha visto a glória dO SENHOR, poderia entrar na tenda! Que cena maravilhosa! Isso é Deus declarando: “Eu sou com Meu povo! Eu habito entre eles agora!”.

Quando a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, os filhos de Israel caminhavam avante, em todas as suas jornadas; se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam, até ao dia em que ela se levantava. De dia, a nuvem do SENHOR repousava sobre o tabernáculo, e, de noite, havia fogo nela, à vista de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas. (Êxodo 40.36-38).

Natal: o Verbo ergue sua tenda entre nós

Assim, quando o Apóstolo João usa essa palavra peculiar, quando ele diz aos seus leitores que a Palavra encarnada habitou entre eles, ele está chamando a atenção aqui. João está nos dizendo que a forma com que O SENHOR desceu e habitou com Seu povo no tabernáculo – e se comunicou com eles em comunhão e se revelou na adoração – essa mesma coisa está acontecendo em Jesus Cristo. Em Jesus, a glória dO SENHOR está descendo e erguendo Sua tenda para habitar no meio do Seu povo!

Ao entrarmos na época do Natal, enquanto você prepara seu coração para louvar Deus pelo dom da encarnação, deixe que isso te leve a adorar. Seja movido à adoração pelo fato de que o Verbo – o próprio Deus Eterno, o agente da criação de todas as coisas, a vida e a Luz do mundo – esse Verbo se tornou carne e tabernaculou entre nós.

Tags: , , , ,

Traduzido por Filipe Schulz | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.