O que aconteceu quando fomos convertidos

por John Piper

Todos os convertidos a Cristo foram convertidos por meio de um conhecimento parcial. Um conhecimento real, certamente – pelo contrário, não seria uma verdadeira conversão –, mas parcial.

Isso não é surpreendente, claro, uma vez que esse é o único tipo de conhecimento que nós temos como criaturas finitas, especialmente neste mundo caído. “Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então conhecerei como também sou conhecido” (1 Coríntios 13.12).

Vale a pena falar o óbvio

Falar o óbvio é muito útil. Por exemplo, pode ser óbvio que o céu azul está glorioso hoje, mas não é sem sentido falar a um amigo: “o céu azul está tão bonito hoje!”. Até esse momento, ele poderia estar cego para o óbvio. E, de repente, você, dizendo o óbvio, acordou ele para essa alegria.

Meu ponto aqui é que, quando as pessoas são salvas, elas não sabem todas as coisas gloriosas que aconteceram com elas naquele momento – como uma pessoa que acorda de uma cirurgia e não sabe se o câncer foi completamente removido. Deve-se contar para elas.

É tarefa dos pais, dos professores da Escola Bíblica Dominical, dos líderes de pequenos grupos e dos pastores contar às pessoas o que aconteceu com elas. Nunca presuma que elas entendem como Deus as salvou. Todos nós tempos apenas um conhecimento parcial disso. E boa parte do Novo Testamento é voltada para aumentar o nosso conhecimento de como Deus nos salvou (na história e em nossas almas), e o que é verdadeiro sobre ele e sobre nós nesse novo relacionamento.

Deixem-me ilustrar o que quero dizer.

1. Milhares de pessoas verdadeiramente convertidas nunca ouviram falar de “novo nascimento” ou “regeneração”. O testemunho que ouviram sobre a morte, ressurreição e perdão de Jesus não incluiu essa verdade. Agora elas creem. Eles “nasceram de novo”, mas elas não sabem disso. Então, temos de ensiná-las.

Todos os que acreditam que Jesus é o Cristo nasceram de novo… Em verdade, em verdade, te digo, que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus (1 João 5.1; João 3.3; 1 Pedro 1.3, 23; Tiago 1.18).

2. Todos os cristãos são “chamados” por Deus. Mas milhares não conhecem a linguagem do chamado divino. Eles nunca ouviram essa linguagem. Então, temos de ensiná-los.

Judeus pedem sinais, gregos buscam conhecimento, mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os gentios, mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, o poder de Deus e sabedoria de Deus (1 Coríntios 1.22-24, 9; 7.15,17; Romanos 8.28; Gálatas 1.5; 5.8; Efésios 4.1, 4; 2 Timóteo 1.9).

3. Todos os cristãos foram escolhidos por Deus antes mesmo da fundação do mundo. Mas milhares não sabem que Deus os escolheu desde a eternidade. Eles precisam ser ensinados sobre essa verdade.

Ele nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor (Efésios 1.4; 1 Coríntios 1.26-29; Romanos 9.11; 11.5-7; Tiago 2.5).

4. Todos os cristãos morreram com Cristo. Mas milhares nunca pensaram sobre a conversão dessa forma. Mesmo que as palavras tenham sido ditas na hora do batismo (para não mencionar quantos verdadeiros cristãos não têm memória de sua aspersão infantil), elas não ficam registradas. Eles precisam ser ensinados de que estão mortos.

Porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus (Colossenses 3.3; 2.12; Romanos 6.4-6; Gálatas 2.20).

5. Todos os cristãos são justificados apenas pela fé, não por obras da lei. Mas muitos vêm a Cristo sem que a palavra “justificação” tenha sido usada alguma vez. Em algum ponto da jornada, eles precisam ser ensinados de que algo glorioso como isso aconteceu com eles.

Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei (Romanos 3.28; 5.1; 8.1, 30; 2 Coríntios 5.21; Gálastas 2.16; 3.11).

6. Todos os cristãos foram removidos do domínio das trevas e transportados para o reino de Cristo. Mas muitos nunca ouviram que eles estavam sob o domínio das trevas, ou o que é isso, ou sequer que foram transferidos para outro reino. Eles precisam ser ensinados.

Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor (Colossenses 1.13).

7. Todos os Cristãos foram libertos do controle decisivo do diabo. Mas muitos Cristãos não sabem que eles estavam sob o controle do diabo, nem que eles ficaram livres dele. Eles precisam ser ensinados.

E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz (Colossenses 2.15; Hebreus 2.14-15).

8. Todos os Cristãos foram selados pelo Espírito Santo para o dia da redenção. Mas milhares não sabem que existe algo chamado selo e o que isso significa. Eles precisam ser ensinados.

E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção (Efésios 4.30; 1.13).

9. Todos os Cristãos foram legalmente adotados para a família de Deus e são filhos de Deus. Mas muitos nunca ouviram essa verdade sobre adoção. Eles precisam ser ensinados.

Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados (Romanos 8.15-17; Efésios 1.5; Gálatas 4.4-5).

10. Todos os Cristãos são habitados pelo Cristo vivo. Mas nem todos sabem disso. Eles precisam ser ensinados.

Aos quais Deus quis dar conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória (Colossenses 1.27; Romanos 8.10).

Uma antiga palavra sobre a Nova Vida

Pense por um momento sobre as implicações disso. Nossa experiência (perceba a palavra! Não é só conhecimento, mas experiência) de quem somos e do que aconteceu em nós é profundamente determinado pelo que sabemos sobre o milagre da nossa conversão. E o que sabemos vem da Escritura.

Deus ordenou que o milagre da vida Cristã deve ser alimentado pela sua graça soberana na alma, mas guiado e moldado por sua palavra na Bíblia.

Deveríamos pensar que Deus quer que desfrutemos das glórias da conversão porque nós fomos, de fato, milagrosamente convertidos. Isso é, afinal de contas, um milagre! Devem falar-lhe que você acabou de experimentar um milagre? Sim, se você quiser conhecer todas as faces do milagre. Mas Deus não nos dá o prazer da conversão só pela conversão em si. Nós experimentamos a plenitude da conversão quando a nova vida interior se cruza com a antiga palavra exterior.

Por exemplo, o Espírito de adoção interior (o qual todo Cristão tem) se cruza com o ensinamento bíblico sobre adoção, e explode com o prazer dado pela consciência e segurança de que somos filhos de Deus.

Então, pastores, professores e pais: ensinem os crentes sob sua responsabilidade o que aconteceu com ele no milagre da conversão. É assim que experimentamos a obra do Deus vivo.

Tags: , ,

Traduzido por Victor Bimbato | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.