O que eu faria se minha filha me contasse que é lésbica?

por Stephen Altrogge

Stephen Altrogge
Stephen Altrogge

Minha filha mais velha, Charis, tem quatro anos, então, esperançosamente, estamos um pouco longe de ter qualquer tipo de conversa sobre sexo. No entanto, em algum ponto no futuro tenho certeza de que conversarei com Charis, e com o resto de meus filhos, sobre sexualidade. E existe a possibilidade de que um de meus filhos experimente atração homossexual.

O que eu faria se Charis me dissesse que ela está experimentando atrações homossexuais?

A primeira coisa que eu faria seria dar-lhe um abraço gigante e dizer-lhe que nada, nada, nada pode mudar meu amor por ela. Ela é minha menininha preciosa e nada mudará isso. Eu agradeceria por contar-me sobre seus sentimentos e lhe diria que ela sempre pode contar pra mim qualquer coisa, não importa quão grande ou pequena. Eu quero que meus filhos se sintam confortáveis me contando qualquer coisa e que saibam que eu não ficarei bravo com eles, não importa o que me disserem.

Eu lhe diria que Deus a ama ainda mais do que eu a amo. Ele a criou à Sua imagem e, por causa disso, ela é preciosa para ele. Ele enviou Seu Filho para morrer pelos pecados dela, o que também prova que ela é preciosa para Ele.

Então eu lhe diria que se ela seguir a Jesus, sua sexualidade não é sua identidade. A identidade dela está enraizada em Cristo. Ela é uma filha de Deus que tem o Espírito Santo habitando nela. A identidade fundamental dela não são os seus desejos sexuais, sua identidade fundamental é uma pecadora perdoada, unida a Cristo, cheia do Espírito Santo. Era disso que Paulo estava falando em 2 Coríntios 5.17 quando disse: Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.

Eu diria: “Querida, se você seguir a Jesus, sua identidade é como uma nova criação em Jesus. Esses desejos que você está experenciando não definem quem você é. Jesus define quem você é. Você é dEle. Você pertence a Ele. Essa é a sua identidade. Isso é quem você é”.

Então eu iria gentilmente pegar a sua mão e dizer: “Charis, seguir a Jesus é realmente muito custoso. Jesus disse até mesmo que devemos morrer para nós mesmos. Ele disse que temos de tomar nossa cruz e segui-lo. Isso significa submeter cada faceta de nossas vidas ao Rei Jesus, inclusive nossos desejos sexuais. Se você seguir a Jesus, você terá de submeter esses desejos a Jesus. Você não pode ceder a eles, porque a Bíblia diz que qualquer expressão sexual fora de um casamento entre um homem e uma mulher é errada”.

Ela poderá perguntar: “Deus irá tirar esses desejos de mim?”

“Eu não sei”, eu diria, “mas eu sei disto: ele te dará poder para não ceder a eles. Essa é a beleza do evangelho. Jesus perdoa todos os nossos pecados e, então, nos dá força para não ceder aos nossos desejos pecaminosos. Será difícil, será custoso e haverá momentos nos quais você se sentirá sozinha, mas Jesus vale a pena. Ele vale tanto a pena! Quando você ouvir Jesus dizer ‘Muito bem, serva boa e fiel’, valerá a pena!”

“Mas por que eu tenho esses desejos?” – Ela poderá perguntar.

“Bem, querida” – eu diria – “O pecado distorceu a sexualidade de cada pessoa. Toda a vez que eu sou tentado a cobiçar uma mulher, isso é uma distorção da minha sexualidade. Toda vez que você é tentada a cobiçar alguém do mesmo sexo, isso é, também, uma distorção. Veja, você e eu somos iguais. Funciona só um pouquinho diferente. Nós dois precisamos desesperadamente de Jesus, mas a coisa maravilhosa é: Jesus está no processo de consertar as distorções. Ele me dá poder para não ceder à cobiça, mesmo quando, às vezes, parece ser muito forte. Ele pode te dar o mesmo poder. E, algum dia, quando Ele voltar, tudo o que é triste e destruído será finalmente desfeito”.

Então eu diria “Quer saber de uma coisa? Nós continuaremos conversando sobre isso, mas, agora, vamos tomar um sorvete”.

Tags: , , , ,

Traduzido por Natália Moreira | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.