O que Sola Scriptura não significa

por C. Michael Patton

C. Michael Patton
C. Michael Patton

A doutrina protestante do Sola Scriptura é uma das mais mal entendidas doutrinas que eu conheço. Os equívocos não vêm apenas daqueles que repudiam a doutrina (tal como os Católicos Romanos), mas também daqueles que a afirmam. Aqui está uma lista de algumas coisas do que o Sola Scriptura não significa.

Sola Scriptura não significa que a Escritura é a única fonte de discernimento espiritual

Discernimento espiritual pode vir de um grande número de fontes, tanto seculares como Cristãs. Lembro que, em 1995, eu recebi um bocado de motivação espiritual e inspiração do filme Coração Valente. A ideia de pessoas desistindo de suas vidas por algo maior que eles mesmos tomou meus pensamentos e esperanças. Há muitas coisas – músicas, palavras sábias, livros e filmes (cristãos e seculares), entre outras coisas – que podem ser fonte de discernimento e inspiração. Lembre-se, toda verdade é verdade de Deus. Não precisa estar nas Escrituras para ser verdadeiro.

Sola Scriptura não significa que não há outras autoridades em nossas vidas

Acreditamos que as Escrituras são nossa suprema e única autoridade infalível, mas não que são nossa única autoridade. Por exemplo, acreditamos que nossos pastores e líderes da igreja têm autoridade em nossas vidas. Hebreus 13.7 diz que devemos obedecer nossos líderes. Esposas devem se submeter aos seus maridos (Efésios 5.2). Pessoas devem obedecer ao governo (1 Pedro 2.13). Crianças devem fazer o que seus pais dizem (Efésios 6.1). Não pode haver desculpas como “Pai, a Bíblia não diz que eu tenho que limpar meu quarto, então eu escolho não limpar”, ou “Senhor policial, não há nada específico na Bíblia sobre passar no sinal vermelho”.

Da mesma forma, a tradição (história da igreja) é uma autoridade em nossas vidas. Aqueles que nos antecederam na fé devem ser respeitados. Sua influência coletiva e unificada cria uma autoridade que, creio eu, só está abaixo da Escritura. Afinal, eles tinham o mesmo Espírito Santo que nós, não tinham? O Espírito Santo não nos ensina tudo novo como indivíduos, mas nos educa e inspira por meio daqueles que nos precederam. É por isso eu amo os teólogos já falecidos!

[tweet link=”http://iprodigo.com/?p=6769″]O Espírito Santo não nos ensina tudo novo como indivíduos, mas nos educa e inspira por meio daqueles que nos precederam[/tweet]

Ao ler as Institutas de João Calvino este verão, o fiz com um pente fino, sublinhando toda vez que outra fonte era referida, especialmente entre os pais da igreja. Não se pode estudar a doutrina Protestante do Sola Scriptura e sair com a ideia  de que os Reformadores sempre disseram que as Escrituras eram nossa única autoridade. Suprema, sim. Única, não.

Nenhum desses é nossa autoridade última, e se as Escrituras contradizem o que essas autoridades dizem, as Escrituras ganham.

Sola Scriptura não significa que se não está na Bíblia, não é divinamente válido

Romanos 1 fala da autoridade vinculada à mensagem da criação: “Pois desde a criação do mundo, os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis” (Romanos 1.20). Da mesma forma, em Romanos 2, sabemos que nossa consciência nos testifica sobre a vontade de Deus (Romanos 2.14-16). Como cristãos, devemos estar dispostos a tomar exemplos de todas as formas daquilo que chamamos “Revelação Geral”: razão, consciência moral e a mensagem da criação são todos válidos aqui.

Seja a razão ou a mensagem da criação e as conclusões tiradas delas, não podemos fazer vista grossa e dizer que, se não está na Escritura, não faz diferença nenhuma.

Sola Scriptura não significa que as Escrituras são uma fonte exaustiva de como nós devemos viver nossas vidas a cada dia

Pense em quantas coisas a Bíblia não nos diz. Não nos diz coisas específicas sobre onde trabalhar, com quem nos casar, o que comer, com que frequência tomar banho, quantos presbíteros ter ou como, exatamente, conduzir um culto dominical. Ela nos ensina princípios gerais e então oferece muita liberdade para cada um de nós sermos sábios em organizar os detalhes.

A Escritura nos prepara espiritualmente para todo serviço espiritual (2 Timóteo 3.17). Não há um depósito de conhecimento ou uma base de dados perdidos que contenham informação essencial sobre como ter um relacionamento correto com Deus. Nisso, a Escritura é completamente suficiente para toda tarefa espiritual.

Por fim, a doutrina do Sola Scriptura significa que a Bíblia é a única e suprema fonte infalível de revelação divina e é, portanto, a fonte irrevogável para a consciência do Cristão.

Acho que essa é uma forma precisa de resumir:

A Bíblia é conduzida pela razão, apoiada pela experiência, guardada pela tradição, mas governada por ninguém.

Tags: , , , ,

Traduzido por Carla Ventura | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.