Por que devemos nos importar com a abordagem de Katy Perry sobre religião?

por Candi Finch

A matéria de capa da edição desta semana da revista Entertainment Weekly examina a vida da superstar pop Katy Perry. Um comentário no artigo me saltou aos olhos, no qual a cantora discutia seu relacionamento com Deus.

“Minha criação foi tão estrita, protegida e rígida, e agora é bem mais solta. Eu acredito em Deus [mas] não como um cara velho com uma barba longa num trono brilhante, ou no céu e inferno como destinos finais. Eu acredito que você pode ter seu inferno próprio [aqui] na terra pelas ações que você faz. Se você não tem essa responsabilidade, então porque simplesmente você não faz tudo de maneira egoísta ou se torna uma ameaça à sociedade? Há muitas coisas espirituais, New Age, que eu apliquei à minha vida agora” (EW, edição de 8/11/13, pg 30.)

Antes que você descarte o que ela diz, considere que os pais de Perry estão os dois no ministério e que ela cresceu na igreja. E Perry não está sozinha em suas crenças. Muitos jovens adultos que crescem na igreja lutam com as mesmas coisas que Perry expressou acima e em outras entrevistas passadas. Algum tipo de bússola moral ou responsabilidade parecem coisas sábias, mas a versão exclusivista “Cristianismo-é-o-único-caminho” da religião parece intolerante.

As Katy Perrys na Sua Igreja

Em todo e qualquer domingo, milhares de jovens lutam com o fato de se eles verdadeiramente acreditam em toda essa coisa de Cristianismo. Eu estou falando de todos esses jovens e crianças que cresceram na igreja, que provavelmente estavam no berçário da igreja na semana seguinte a que nasceram. É o que eles ouviram enquanto cresciam, é o que o pastor deles e o pastor de jovens acreditam, é o que seus pais acreditam, mas eles realmente acreditam nisso?

Eu oro por todas as jovens a quem eu instruo para que tenham essa questão específica rondando em volta de suas cabeças e para que lutem com sua fé antes de deixarem seu grupo de jovens [da igreja]. Eu quero que sua fé seja autêntica e construída sobre uma fundação firme para que quando questões ou situações difíceis vierem, sua fé não seja abalada. Eu quero que elas tenham confiança sobre como procurar respostas na Bíblia. Eu quero que elas venham e me façam suas perguntas difíceis para que quando elas forem à faculdade ou para o mercado de trabalho e alguém lhes pergunte por que elas acreditam no Cristianismo, sua resposta não seja: “Foi como fui criada”.

No livro You Lost Me: Why Young Christians are Leaving the Church…And Rethinking Faith (Você Me Perdeu: Porque Jovens Cristãos Estão Deixando a Igreja…E Repensando a Fé), David Kinnaman examina o porquê de tantos jovens se desligarem da igreja. Entre os temas importantes que emergiram está que muitos jovens adultos lutam com a natureza exclusiva do Cristianismo e que a igreja parece ser pouco amável com aqueles que duvidam. Cinquenta por cento dos entrevistados para o livro disseram que não sentem que podem perguntar as questões mais urgentes da vida na igreja(190). Se não for na igreja, então onde será?!

A Exclusividade do Cristianismo

Como nossa juventude cresceu em uma cultura que idolatra a tolerância e aceitação, não é de se admirar que a natureza exclusiva do Cristianismo seja uma pedra de tropeço para muitos. Entretanto, João 14.6 deixa claro que Jesus é o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por Ele. Não há muitos caminhos para Deus. Considere dois ataques bem específicos à natureza do Evangelho que estão presentes na cultura americana contemporânea:

  • Pluralismo é a idéia de que todas as religiões são caminhos igualmente válidos para Deus. Já que a tolerância é tão valorizada na nossa cultura pós-moderna, pluralismo facilita e absolve a vida das pessoas. Você acredita no que quiser acreditar, e eu acredito no que eu quiser acreditar. Tendências pluralistas são um grande obstáculo ao evangelismo – se há muitos caminhos para Deus, então por que compartilhar Cristo?
  • Sincretismo é a idéia de combinar ou fundir aspectos de diferentes religiões em um sistema de crença. Muitos jovens adultos como Katy Perry abordam religião ou espiritualidade hoje como algum tipo de salada cósmica com os ingredientes de cada cosmovisão religiosa como opções na refeição: um pouco disso e um pouco daquilo – “religião” do seu jeito. Você não gosta de inferno? Deixe para o prato de outra pessoa. Você ama perdão e dar a outra face? Sirva mais no prato. No entanto, você se torna seu próprio deus quando você faz “a salada” no lugar de Deus.

 

A Importância de Comunicar a Verdade

Sabendo que há um ataque violento de erros e mentiras bombardeando nossos jovens todos os dias, torna-se mais e mais importante proclamar claramente e ensinar a verdade. Igrejas precisam equipar membros e não entretê-los. Se seus alunos que cresceram na igreja sabem mais sobre como jogar underground church ou “Gun, Man, Gorilla” [nota do tradutor: jogos coletivos comum em gincanas entre jovens e crianças de igrejas americanas] do que sabem sobre Cristo ou como responder objeções ao Cristianismo, então você tem um problema.

Na verdade, igrejas que comunicam a verdade estão realmente tendo mais sucesso em alcançar jovens que não vão à igreja. Em seu livro de 2009 Lost and Found: The Younger Unchurched and the Churches that Reach Them (Achados e Perdidos: os Jovens Fora da Igreja e as Igrejas que os Alcançam), Ed Stezer descobriu que igrejas que estão fazendo um impacto significativo em alcançar jovens são aquelas que estão entregando profundidade e conteúdo em seus ensinos e cultivando um ambiente onde membros se sentem seguros para perguntar questões difíceis ou dar voz a dúvidas.

A Importância de Como Você Comunica a Verdade

Quando você encontra uma Katy Perry na sua igreja que está expressando dúvidas ou lutando com sua fé, a maneira como você comunica a verdade é importante . Você pode dizer a coisa certa da maneira errada. Infelizmente, eu sei disso por experiência própria. Houve tempos em que eu amava mais ganhar discussões sobre minha fé do que as pessoas com quem eu estava discutindo. 1 Pedro 3.15 é um grande lembrete sobre como compartilhar a verdade, e nesse verso Pedro diz que nós devemos sempre estar prontos a dar uma resposta a qualquer um que nos peça para dar uma razão para a esperança que temos, mas devemos fazê-lo com gentileza e respeito.

Então de volta à pergunta que abriu o título deste artigo, porque você deveria se importar com a abordagem de Katy Perry a respeito da religião? Você deve se importar porque ela representa a abordagem que muitos jovens nas nossas igrejas estão usando em relação ao Cristianismo. E, se eu posso emprestar o slogan da nossa Faculdade aqui no [Seminário Batista] Southwestern, nós devemos equipar nossos alunos para conhecer a verdade, compartilhar a verdade, e defender a verdade, especialmente pelo fato de que eles vivem em um mundo que não percebe que Jesus é a Verdade.

Tags: , , , ,

Traduzido por Marcelo Vieira | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.