Por que Matusalém viveu tanto?

por Nathan Busenitz

Qualquer um que já tenha brincado de quiz bíblico sabe que Matusalém viveu mais do que qualquer um. Ele morreu na avançada idade de 969 anos. Mas você já se perguntou o porquê?

Deixando de lado os fatores ambientais do mundo pré-Dilúvio (quando a expectativa de vida era muito maior do que é hoje), estou convencido de que a resposta tem mais a ver com o caráter de Deus do que com a constituição física ou consciência de saúde de Matusalém.

Quando Matusalém nasceu, o texto de Gênesis 5 indica que seu pai, Enoque, começou a andar com Deus (Gênesis 5.21-22). Muitos comentaristas acreditam que foi durante a época do nascimento de Matusalém que Deus revelou a Enoque a realidade do Dilúvio que viria – o motivo pela qual Enoque passou os três séculos seguintes alertando o mundo ao seu redor da iminente retribuição de Deus (Judas 14-15).

O nome de Matusalém pode ser traduzido tanto como “o homem da lança” ou “o homem do lançamento”. É provável, especialmente no contexto de Gênesis 5-6, que esse nome se referia à realidade do julgamento iminente de Deus – um Dilúvio global que seria lançado com força e destruição repentinas. A implicação é que a ira divina não cairia até que Matusalém morresse (alguns estudiosos até aceitam o significado “sua morte trará” para seu nome).

Matusalém viveu 969 anos. Se você adicionar o período entre o nascimento de Matusalém e a entrada de Noé na arca (187+182+600), também dá 969 anos. Isso significa que exatamente no ano em que Matusalém morreu, o Dilúvio foi enviado como uma lança à Terra.

Então por que Deus permitiu que Matusalém vivesse por tantos anos – mais do que qualquer outro na história da humanidade?

Creio que isso foi uma ilustração da incrível paciência de Deus. O fato de que Matusalém viveu quase 1000 anos demonstra a natureza longânima de Deus. Desde que Deus revelou a realidade do julgamento a Enoque, foi quase um milênio até que as primeiras gotas da ira começassem a cair nos dias de Noé.

A longa vida de Matusalém se encaixa na descrição de Pedro da paciência de Deus em 2 Pedro 3. Após discutir sobre o Dilúvio (versos 5-6), o apóstolo escreve nos versos 8-9:

Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia. Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.

Assim, na próxima vez que alguém te perguntar “qual é o nome do homem mais velho da Bíblia?”, não responda apenas “Matusalém” como se a idade dele fosse um mero fato curioso. Ao invés, considere o fato de que 969 é um tempo realmente longo – não só para um homem viver, mas para um Deus santo ser paciente com um planeta rebelde.

Tags: , , ,

Traduzido por Filipe Schulz | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.