Sete razões para estudar o passado da Igreja

por Tim Challies

Apesar de trabalhar principalmente como web designer, e ter feitos vários treinamentos em outra área da computação (administração de redes, para quem interessar), a parte mais significativa da minha educação foi em História. Foi História que eu estudei na faculdade e ela é, de muitas formas, meu primeiro amor. Assim como eu amo ler livros sobre vida cristã e crescimento espiritual, estou sempre ansioso para mergulhar no meu próximo livro de História. Mesmo depois de dez anos após me formar na faculdade, eu continuo a ler sobre História, e em particular, a história da Igreja.
Conforme li sobre a igreja do primeiro século, percebi a bênção que é viver nessa geração – nossa geração. Quanto mais eu estudo sobre os primeiros cristãos, mais eu vejo o quão grande é o legado que nós, seguidores de Cristo, possuímos. A fé como nós a conhecemos hoje não foi nos entregue simplesmente, mas foi dolorosamente desenvolvida por centenas e milhares de anos. As Escrituras têm sido minuciosamente estudadas através de todos esses anos e o padrão normal tem sido de alguns muitos passos à frente e alguns grandes passos para trás. Às vezes, Deus permite que a Igreja dê um passo gigantesco à frente, como nos dias da Reforma, mas é mais comum que a Igreja vagarosa e deliberadamente desenvolva doutrinas de acordo com a Escritura. Hoje, temos acesso sem precedentes à Escritura e aos recursos para estudar a Bíblia. Por essas coisas, devemos ser profundamente gratos.
Eu pensei que seria interessante listar algumas das razões que nós, como cristãos, deveríamos levar em conta no estudo da história da Igreja.
Deus nos manda: A Bíblia constantemente nos exorta a buscarmos e lembrarmos o passado. O Antigo Testamento, em particular, está cheio de referências a Deus ordenando aos israelitas que se lembrem de Seus feitos no passado. Ele instituiu várias cerimônias e festas que faziam com que Seu povo se lembrasse de olhar o que Ele havia feito por eles. O que estava implícito nessas cerimônias e festas era um gostinho do futuro. Assim, quando olhamos para o passado, podemos imaginar um pouco do que Deus tem guardado para nós no futuro.
“Pergunte às gerações anteriores e veja o que os seus pais aprenderam, pois nós nascemos ontem e não sabemos nada. Nossos dias na terra não passam de uma sombra. Acaso eles não o instruirão, não lhe falarão? Não proferirão palavras vindas do entendimento?”(Jó 8.8-10)
Os pilares e monumentos do passado servem como constantes lembretes da fidelidade de Deus. Eles servem para aumentar nossa fé e nos dar a certeza que assim como Deus agiu no passado, ele agirá no futuro.
Para entender o hoje: Deveríamos estudar o passado para entender o presente. O estudo da História, quando feito corretamente, é sempre uma experiência de humildade. Permite-nos entender e simpatizar com os infortúnios daqueles que vieram antes de nós. Ajuda-nos a entender as bênçãos que hoje podemos desfrutar e que nem sempre foram desfrutadas por nossos irmãos e irmãs no passado.  E também nos previne de desenvolver uma perspectiva da fé que seja simploriamente focada em nossos dias e que ignore a longa e documentada história da Igreja. Mostra-nos que não somos tão diferentes de nossos irmãos e irmãs de tempos passados e nos ajuda a evitar os mesmos pecados e erros que eles cometeram.
Para entender o amanhã: História não é só o estudo do passado como uma tentativa de entender o presente, mas é também uma tentativa de entender e até prever o futuro. Quando reconhecemos os padrões dos dias passados, podemos começar a formular idéia a respeito de aonde as tendências atuais nos levarão. Ao entender o passado nós começamos a entender o futuro. Quando entendemos aonde as tendências correntes estão nos levando, podemos reagir e evitar caminhar por caminhos que já vimos ser perigosos.
Para entender a Providência: Nós cristãos somos freqüentemente acusados de nos focarmos no presente e olharmos com ansiedade para o futuro, esquecendo completamente do passado. Mas fazer isso é perder de vista os ensinamentos preciosos do passado. Em tempos anteriores, Deus revelou a si mesmo de formas poderosas, continuamente sustentando seu povo em meio a perseguições e tribulações. Quando estudamos o passado, podemos ver muitas das formas nas quais a providência divina se manifestou. Isso pode servir como uma valiosa ferramenta de ensino enquanto nos preparamos para enfrentar perseguições e tribulações nos nossos dias. Isso pode e deve nos levar a um maior amor e maior apreciação por Deus e nos dar maior confiança em Suas promessas. Assim como Ele têm sido fiel a homens e mulheres por muitas gerações, Ele será fiel a nós e aos nossos filhos. Essa certeza nos dá muita estabilidade em nossa fé.
Para entender os erros: Muitas vezes a história da Igreja é uma história de ação e reação. Muito da teologia cristã foi desenvolvido e fortalecido em reação a erros e heresias. Quando visitamos o passado podemos ver como o erro chegou à Igreja e vemos quais erros estão sendo cometidos hoje, e como muitos deles foram solucionados no passado. Isso é de grande valor ao enfrentarmos os inevitáveis erros de nossos dias. Muitos cristãos entram em novas batalhas a respeito de doutrina quando poderiam receber grande ajuda de grandes teólogos do passado que já batalharam sobre as mesmas coisas. Ao estudar o que já aconteceu, podemos evitar erros futuros e mesmo os acontecimentos que precedem os erros.
Para entender as pessoas: Todos nós gostamos de pensar em quem convidaríamos para almoçar se pudéssemos escolher pessoas famosas que viveram no passado. Obviamente, não podemos falar e/ou conversar com essas pessoas. Mas ao estudar História, podemos conhecê-los e entendê-los. Podemos ver as partes de suas vidas que glorificaram a Deus e as partes que o desonraram. Podemos enxergar o que os levou a uma posição proeminente na Igreja e talvez as falhas de caráter que os levaram a cair. Podemos aprender não só com a história em si, mas com pessoas que viveram em um determinado período da história.
Para entender a perseverança: Desde que Cristo subiu aos céus, cristãos vivem na espera por seu retorno. Aqueles que viveram no primeiro século esperavam que esse evento fosse iminente. Mesmo assim, após dois milênios, nós continuamos a esperar. Ao olharmos para a História, nós nos deparamos com o conhecimento de que a volta de Cristo pode estar ainda muito distante. E quando vemos como homens e mulheres perseveraram por toda a história da Igreja, somos fortalecidos por essa perseverança, sabendo que nós, seremos testemunhas do retorno de Cristo quando esse grande dia finalmente chegar.
Você acha que há mais razões além dessas? Se sim, sinta-se à vontade para postar nos comentários.
Tim Challies, historiador e webdesigner
Tim Challies, historiador e webdesigner

Apesar de trabalhar principalmente como web designer, e ter feitos vários treinamentos em outra área da computação (administração de redes, para quem interessar), a parte mais significativa da minha educação foi em História. Foi História que eu estudei na faculdade e ela é, de muitas formas, meu primeiro amor. Assim como eu amo ler livros sobre vida cristã e crescimento espiritual, estou sempre ansioso para mergulhar no meu próximo livro de História. Mesmo depois de dez anos após me formar na faculdade, eu continuo a ler sobre História, e em particular, a história da Igreja.

Conforme li sobre a igreja do primeiro século, percebi a bênção que é viver nessa geração – nossa geração. Quanto mais eu estudo sobre os primeiros cristãos, mais eu vejo o quão grande é o legado que nós, seguidores de Cristo, possuímos. A fé como nós a conhecemos hoje não foi nos entregue simplesmente, mas foi dolorosamente desenvolvida por centenas e milhares de anos. As Escrituras têm sido minuciosamente estudadas através de todos esses anos e o padrão normal tem sido de alguns muitos passos à frente e alguns grandes passos para trás. Às vezes, Deus permite que a Igreja dê um passo gigantesco à frente, como nos dias da Reforma, mas é mais comum que a Igreja vagarosa e deliberadamente desenvolva doutrinas de acordo com a Escritura. Hoje, temos acesso sem precedentes à Escritura e aos recursos para estudar a Bíblia. Por essas coisas, devemos ser profundamente gratos.

Eu pensei que seria interessante listar algumas das razões que nós, como cristãos, deveríamos levar em conta no estudo da história da Igreja.

Deus nos manda: A Bíblia constantemente nos exorta a buscarmos e lembrarmos o passado. O Antigo Testamento, em particular, está cheio de referências a Deus ordenando aos israelitas que se lembrem de Seus feitos no passado. Ele instituiu várias cerimônias e festas que faziam com que Seu povo se lembrasse de olhar o que Ele havia feito por eles. O que estava implícito nessas cerimônias e festas era um gostinho do futuro. Assim, quando olhamos para o passado, podemos imaginar um pouco do que Deus tem guardado para nós no futuro.

“Pergunte às gerações anteriores e veja o que os seus pais aprenderam, pois nós nascemos ontem e não sabemos nada. Nossos dias na terra não passam de uma sombra. Acaso eles não o instruirão, não lhe falarão? Não proferirão palavras vindas do entendimento?”(Jó 8.8-10)

Os pilares e monumentos do passado servem como constantes lembretes da fidelidade de Deus. Eles servem para aumentar nossa fé e nos dar a certeza que assim como Deus agiu no passado, ele agirá no futuro.

Para entender o hoje: Deveríamos estudar o passado para entender o presente. O estudo da História, quando feito corretamente, é sempre uma experiência de humildade. Permite-nos entender e simpatizar com os infortúnios daqueles que vieram antes de nós. Ajuda-nos a entender as bênçãos que hoje podemos desfrutar e que nem sempre foram desfrutadas por nossos irmãos e irmãs no passado.  E também nos previne de desenvolver uma perspectiva da fé que seja simploriamente focada em nossos dias e que ignore a longa e documentada história da Igreja. Mostra-nos que não somos tão diferentes de nossos irmãos e irmãs de tempos passados e nos ajuda a evitar os mesmos pecados e erros que eles cometeram.

Para entender o amanhã: História não é só o estudo do passado como uma tentativa de entender o presente, mas é também uma tentativa de entender e até prever o futuro. Quando reconhecemos os padrões dos dias passados, podemos começar a formular idéia a respeito de aonde as tendências atuais nos levarão. Ao entender o passado nós começamos a entender o futuro. Quando entendemos aonde as tendências correntes estão nos levando, podemos reagir e evitar caminhar por caminhos que já vimos ser perigosos.

Para entender a Providência: Nós cristãos somos freqüentemente acusados de nos focarmos no presente e olharmos com ansiedade para o futuro, esquecendo completamente do passado. Mas fazer isso é perder de vista os ensinamentos preciosos do passado. Em tempos anteriores, Deus revelou a si mesmo de formas poderosas, continuamente sustentando seu povo em meio a perseguições e tribulações. Quando estudamos o passado, podemos ver muitas das formas nas quais a providência divina se manifestou. Isso pode servir como uma valiosa ferramenta de ensino enquanto nos preparamos para enfrentar perseguições e tribulações nos nossos dias. Isso pode e deve nos levar a um maior amor e maior apreciação por Deus e nos dar maior confiança em Suas promessas. Assim como Ele têm sido fiel a homens e mulheres por muitas gerações, Ele será fiel a nós e aos nossos filhos. Essa certeza nos dá muita estabilidade em nossa fé.

Para entender os erros: Muitas vezes a história da Igreja é uma história de ação e reação. Muito da teologia cristã foi desenvolvido e fortalecido em reação a erros e heresias. Quando visitamos o passado podemos ver como o erro chegou à Igreja e vemos quais erros estão sendo cometidos hoje, e como muitos deles foram solucionados no passado. Isso é de grande valor ao enfrentarmos os inevitáveis erros de nossos dias. Muitos cristãos entram em novas batalhas a respeito de doutrina quando poderiam receber grande ajuda de grandes teólogos do passado que já batalharam sobre as mesmas coisas. Ao estudar o que já aconteceu, podemos evitar erros futuros e mesmo os acontecimentos que precedem os erros.

Para entender as pessoas: Todos nós gostamos de pensar em quem convidaríamos para almoçar se pudéssemos escolher pessoas famosas que viveram no passado. Obviamente, não podemos falar e/ou conversar com essas pessoas. Mas ao estudar História, podemos conhecê-los e entendê-los. Podemos ver as partes de suas vidas que glorificaram a Deus e as partes que o desonraram. Podemos enxergar o que os levou a uma posição proeminente na Igreja e talvez as falhas de caráter que os levaram a cair. Podemos aprender não só com a história em si, mas com pessoas que viveram em um determinado período da história.

Para entender a perseverança: Desde que Cristo subiu aos céus, cristãos vivem na espera por seu retorno. Aqueles que viveram no primeiro século esperavam que esse evento fosse iminente. Mesmo assim, após dois milênios, nós continuamos a esperar. Ao olharmos para a História, nós nos deparamos com o conhecimento de que a volta de Cristo pode estar ainda muito distante. E quando vemos como homens e mulheres perseveraram por toda a história da Igreja, somos fortalecidos por essa perseverança, sabendo que nós, seremos testemunhas do retorno de Cristo quando esse grande dia finalmente chegar.

Você acha que há mais razões além dessas? Se sim, sinta-se à vontade para postar nos comentários.

Traduzido por Filipe Schulz | iPródigo

Tags: , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.