Submissão não se trata de superioridade

por Stephen Altrogge

Stephen Altrogge
Stephen Altrogge

Nos dias atuais, pode ser perigoso falar sobre um marido liderando sua família e uma mulher se submetendo a essa liderança. Para ouvidos modernos, isso soa patriarcal. Sexista. Arrogante. Fundamentalista. Como se, de alguma forma, o marido fosse superior à mulher e, portanto, liderasse a mulher. Dizer que você acredita nos papéis diferentes de um marido e uma esposa é como dizer que você acredita na escravidão. As pessoas acham que somente um marido tirânico e uma esposa “capacho” manteriam tais coisas.

Essas pessoas obviamente não conhecem minha esposa Jen.

Jen é muito competente. Atualmente, ela fica em casa com nossas duas filhas, Charis e Ella. Ella, que tem 20 meses, está no estágio que gosto de chamar de “modo alvoroço”.  Ela está constantemente chorando, agarrando, jogando e dizendo “Não!”. Ela é o pequeno tornado humano mais fofo que eu já vi. Apesar de estar constantemente monitorando nossas duas meninas, Jen também dá um jeito de manter nossa casa limpa, de me manter longe das roupas de mendigo que eu usaria se estivesse sozinho e de preparar refeições fantásticas. Ela pinta, decora e paga contas. Eu amo tanto a Jen e, honestamente, não consigo imaginar como eu funcionaria sem ela.

Em muitos aspectos, Jen é mais autocontrolada que eu. Ela é mais compassiva e pensativa. Ela se relaciona com as pessoas melhor do que eu e descobre formas criativas de servir as pessoas. Ela não é nenhum pouco tão cínica ou sarcástica como eu. E ela tem uma aparência melhor do que a minha. Muito melhor.

Pode acreditar, eu não sou superior à Jen. De fato, eu me arriscaria a dizer que em muitos, muitos aspectos ela é muito superior a mim.

Eu sinto que o marido da mulher de Provérbios 31 sentia-se da mesma forma que eu. Aquela mulher era uma avalanche de produtividade e habilidades. Ela trabalhava com suas mãos, trabalhava cedo na manhã, comprava e plantava na terra, fazia negociações lucrativas, servia os necessitados, vestia sua família, falava com sabedoria e bondade e era louvada por seus filhos. Quando é que essa mulher dormia?

Jen e eu compreendemos que o próprio Deus dá ao homem e à mulher papéis diferentes para desempenhar. Esses papéis não são baseados em qualquer tipo de habilidades inatas encontradas no marido ou na esposa. Eles não estão enraizados num sistema patriarcal que exalta os homens acima das mulheres. Eles não colocam a mulher num papel servil ao homem. Em vez disso, eles são papéis ordenados por Deus que lhe trazem honra e glória.

As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor; porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo. […] Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela… Efésios 5.22-23,25

Submissão não se trata de superioridade. Jen e muitas outras mulheres em minha igreja são um exemplo disso. Submissão se trata de cumprir o chamado de Deus para a glória de Deus.

Tags: , ,

Traduzido por Natália Moreira | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.