Um estudo do caso

por Alexandre Mendes

Alexandre Mendes

“A queda sexual é resultado de uma vida desassociada da Palavra em algum aspecto”
[série baseada em Provérbios 1-9]

Quem nunca ouviu a história do marido seduzido pela “outra”? Ou então, do meia-idade seduzido pela jovem? Ou ainda da esposa seduzida pelo “outro”? Etc… Gente que parecia com a cabeça no lugar mas que foi levado pela influência do “outro” ou da “outra”! Gente que caiu num caso, aventura e adultério, e nem sabe (sabemos?) o por quê. Provérbios 7 traz um estudo sobre esse “caso”. Esse capítulo disseca o engano do pecado sexual, mostrando como a sabedoria de Deus pode mantê-lo(a) longe dos passos que leva ao caminho da destruição. O capítulo segue o seguinte padrão: palavras de exortação, exemplo (um estudo DE caso), e mais palavras de exortação.

As Exortações de Provérbios 7.1-5 (NVI):

v.1 “Meu filho, obedeça às minhas palavras e no íntimo guarde os meus mandamentos. V. 2 Obedeça aos meus mandamentos, e você terá vida; guarde os meus ensinos como a pupila dos seus olhos. V. 3 “Amarre-os aos dedos; escreva-os na tábua do seu coração.” V. 4 “Diga à sabedoria: ‘Você é minha irmã’, e chame ao entendimento seu parente; V. 5 “eles o manterão afastado da mulher imoral, da mulher leviana e suas palavras sedutoras.”

Não existe exagero para enfatizar a importância de ouvir à instrução do pai no capítulo 7. Instrução que não se limita aos bons conselhos de um pai ao seu filho, mas trata-se da Palavra de Deus, a Bíblia, conselhos de Deus para Seus filhos. Os verbos usados indicam ações que fazem parte de um estilo de vida. Alguém que vive na Palavra, conhecendo de Deus, obedecendo Seus mandamentos, guardando-os como o tesouro mais importante e precioso. “Aventuras sexuais” (adultério) não são problemas meramente agudos e casuais. São problemas estruturais de uma vida que não conhece, obedece e guarda a Palavra de Deus como o tesouro mais importante da vida. Parte do engano é acreditar que o pecado sexual é desassociado da postura do adúltero com relação à Palavra de Deus. Alguém uma vez disse sabiamente, “a Bíblia irá mantê-lo longe do pecado ou o pecado irá mantê-lo longe da Bíblia.” Não se engane, a queda sexual é resultado de uma vida desassociada da Palavra em algum aspecto. O versículo 5 esclarece esse princípio ao mostrar que são os mandamentos de Deus que irão mantê-lo longe do caminho da mulher adúltera. Em suma, a Verdade de Deus desmascara a mentira do pecado.

Um estudo DE Caso – Provérbios 7.6-23:

Os versículos 6 a 23 trazem um estudo de caso da imoralidade. Salomão escreve como um observador dos caminhos do desavisado até a rede da mulher adúltera. O relato mostra o que caracteriza o imoral e a imoralidade, alertando os leitores ao pecado e exortando-os a uma postura de sábia dependência na Palavra.

a)      O imoral é ingênuo (vv. 6-9)

A descrição do imoral não é seu desejo sexual exagerado, mas alguém que não tem juízo. A questão não é seu nível hormonal ou falta de pudor, mas de discernimento. O imoral é ingênuo e não avalia circunstâncias ou pessoas. É guiado por seus sentimentos e não pela Verdade. Portanto, ele anda no lugar errado (próximo à esquina de certa mulher), na hora errada (era crepúsculo, o entardecer do dia, chegavam as sombras da noite, crescia a escuridão) e em direção à companhia errada (à casa dela).

b)      O(a) adúltero(a) é astuto(a) (vv. 19-21)

O adúltero (sedutor) é astuto e sabe tirar proveito da ingenuidade do imoral (seduzido). Seu caráter falta integridade. Ele é astuto no coração (vv. 10-11) e sabe identificar uma presa fácil. Suas ações são deliberadamente perversas (vv. 13-21). Usa a religião para justificar suas atitudes e chama de bem o mal (v. 14). Aliás, usa todos os recursos possíveis para seduzir o imoral: bajulação (vv. 15-18) e falsas promessas (vv. 19-20).

c)       O imoral é tolo como um boi a caminho do matadouro (vv. 22-23)

O resultado do engano é que o seduzido segue o caminho que leva à morte, destruição. Ele segue como um boi vai ao matadouro, sem saber o que lhe aguarda. Desconhece a sabedoria e por isso acha que seu caminho é inevitável. Hoje, chamam isso de destino, busca por felicidade, etc… a Palavra de Deus chama isso de caminho de morte!

d)      O(a) adúltero(a) é cruel (vv. 22-23)

O adúltero é cruel. Quando sua presa está no matadouro, irá executá-lo com a lança da chantagem, com a espada do divórcio, com o machado da pensão alimentícia, etc. Sem dó, nem piedade. Você que é sábio, escute…

Mais exortações em Provérbios 7.24-30 (NVI):

NÃO DEIXE SEU CORAÇÃO BRINCAR COM OS LIMITES DO PECADO. Pergunta dos tolos: quão longe eu posso ir sem pecar? Pergunta dos sábios: quão longe eu posso ficar do pecado?

Extraído do blog pessoal do autor

Alexandre Mendes é conhecido como “Sacha” desde que se conhece como gente. Nascido em Belo Horizonte, cresceu em São Paulo capital e Atibaia. Sacha é formado em Economia pela Universidade São Paulo, Teologia pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida, mestre em Aconselhamento Bíblico – M.A. – pelo The Master’s College (Santa Clarita, CA, EUA) e mestrado em Divindade – M. Div. – pelo Faith Bible Seminary (Lafayette, IN, EUA). É casado com a Ana desde junho de 2007 e pai do Pedro desde julho de 2009. Atualmente Sacha serve como pastor na Igreja Batista Maranata em São José dos Campos.

Tags:

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.