Uma rede de sabedoria (4)

por Jeremy Walker

Jeremy Walker
Jeremy Walker

Mídias sociais para a glória de Deus

Estamos progredindo, e eu reunirei todos esses links em seu devido tempo, mas, por enquanto, nós já vimos…

– Introdução

– Princípios 1 e 2

Princípio 3

Aqui vão os princípios 4, 5 e 6.

4. Considere seu testemunho e caráter (rastro digital)

  • O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio. (Pv 11.30)
  • Como jóia de ouro em focinho de porco, assim é a mulher formosa que não tem discrição. (Pv 11. 22)
  • Abomináveis são para o SENHOR os desígnios do mau, mas as palavras bondosas lhe são aprazíveis. (Pv 15.26)
  • Até a criança se dá a conhecer pelas suas ações, se o que faz é puro e reto. (Pv 20.11)
  • Qual ave que vagueia longe do seu ninho, tal é o homem que anda vagueando longe do seu lar. (Pv 27.8)
  • Quem teme ao homem arma ciladas, mas o que confia no SENHOR está seguro. (Pv 29.25)

‘Rastro digital’ é a marca que você deixa enquanto caminha pelo mundo online: é o formato eletrônico de quem você é e que impacto você está tendo. Eu digo, categoricamente, que o envolvimento de um homem ou mulher nas mídias sociais, quanto ao seu conteúdo e forma, deve mudar decisivamente na conversão. A salvação deve alterar seu rastro tanto no campo online quanto no mundo real. Muitos cristãos parecem temer a face dos homens tanto, se não mais, em sua interação online quanto em qualquer outro lugar. Francamente, é algo embaraçoso e genuinamente trágico como poucos cristãos parecem ter qualquer contribuição caracteristicamente cristã a fazer online, nenhum aroma de Cristo para carregar com eles no ciberespaço. Onde está a santidade ofuscante que deve marcar os santos?

É claro que eu não estou sugerindo que suas contribuições devam somente consistir de citações da Bíblia e estrofes de hinos, mas a piedade cristã está evidente nas coisas que você diz, curte e segue online? Se você é um discípulo professo de Jesus Cristo, algumas pessoas poderiam ler por alguns dias suas atividades online e, legitima e inteligentemente, concluir quem e de quem você é? O que você curte no facebook? Quem você segue? O que você twitta ou comenta? Deve haver um problema com quem tem um personagem cristão online e, offline, prova que isso é uma mentira. Mas, ainda mais grave, é o cristão professo cujos rastros digitais não deixam nenhuma pista das marcas da cruz.

Eis uma chance de deixar sua luz resplandecer diante dos homens ao invés de encobrir ou difamar a verdadeira religião. Nós devemos brilhar – deliberada e proativamente – tanto online quanto nós fazemos offline, e isso, amigos, talvez nos leve à raiz do problema.

5. Avalie a natureza e influência das companhias que você mantém

  •  Filho meu, se os pecadores querem seduzir-te, não o consintas. Se disserem: Vem conosco, embosquemo-nos para derramar sangue, espreitemos, ainda que sem motivo, os inocentes; traguemo-los vivos, como o abismo, e inteiros, como os que descem à cova; acharemos toda sorte de bens preciosos; encheremos de despojos a nossa casa; lança a tua sorte entre nós; teremos todos uma só bolsa. Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; guarda das suas veredas os pés; porque os seus pés correm para o mal e se apressam a derramar sangue. (Pv 1.10-16)
  • Não tenhas inveja do homem violento, nem sigas nenhum de seus caminhos; porque o SENHOR abomina o perverso, mas aos retos trata com intimidade. (Pv 3.31-32)
  • Não entres na vereda dos perversos, nem sigas pelo caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo; (Pv 4.14-15)
  • O justo serve de guia para o seu companheiro, mas o caminho dos perversos os faz errar. (Pv 12.26)
  • Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau. (Pv 13.20)
  • Foge da presença do homem insensato, porque nele não divisarás lábios de conhecimento. (Pv 14.7)
  • O homem violento alicia o seu companheiro e guia-o por um caminho que não é bom. (Pv 16.29)
  • Foge da presença do homem insensato, porque nele não divisarás lábios de conhecimento. (Pv 18.24)
  • Não te associes com o iracundo, nem andes com o homem colérico, para que não aprendas as suas veredas e, assim, enlaces a tua alma. (Pv 22.24-25)
  • Teme ao SENHOR, filho meu, e ao rei e não te associes com os revoltosos. Porque de repente levantará a sua perdição, e a ruína que virá daqueles dois, quem a conhecerá? (Pv 24.21-22)
  • O que desvia os retos para o mau caminho, ele mesmo cairá na cova que fez, mas os íntegros herdarão o bem. (Pv 28.10)
  • O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça os bens. (Pv 29.3)

Nós podemos discutir acerca da realidade das amizades do Facebook, mas a companhia que nós mantemos é um indicador de onde nós nos firmamos e em que direção nós vamos. Por quem você está atraído e para quem você é atraente? Procure nos seus amigos, aqueles que te seguem e quem você segue, seu feed do blogs e leitores, seus comentadores frequentes, a lista de recomendações que aparecem para você no YouTube. O que todas essas associações dizem sobre você? Você gostaria que um amigo cristão amável ou um pastor fiel tirasse uma cópia de seu histórico de navegação, todas as suas associações e interações online? Se não, por quê? Afora, o Senhor já sabe disso.

Pergunte-se seriamente quem você está influenciando, se é que está, e para que fim ou por quem você está sendo influenciado e em que direção. Você está edificando os outros ou sendo arrastado para baixo? Você se encontra entre os perversos, os raivosos, os impacientes, os queixosos, os vulgares e – caso sim – por que você está aí e o que você está fazendo? Ou o seu caminho te conduz entre os sábios, retos, pacíficos e puros? Más companhias corromperão seu comportamento online e offline (1Co 15.33). É chegado o tempo de retirar as ervas daninhas, até mesmo de realizar uma poda vigorosa, na sua interação online e relacionamentos?

6. Envolva conselheiros sábios, especialmente os pais, quando se é mais jovem.

  • Ouvi, filhos, a instrução do pai e estai atentos para conhecerdes o entendimento; porque vos dou boa doutrina; não deixeis o meu ensino…(Pv 4.1-27)
  •  Afasta o teu caminho da mulher adúltera e não te aproximes da porta da sua casa; para que não dês a outrem a tua honra, nem os teus anos, a cruéis; para que dos teus bens não se fartem os estranhos, e o fruto do teu trabalho não entre em casa alheia; e gemas no fim de tua vida, quando se consumirem a tua carne e o teu corpo, e digas: Como aborreci o ensino! E desprezou o meu coração a disciplina! E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem a meus mestres inclinei os ouvidos! (Pv 5.7-13)
  • O filho sábio ouve a instrução do pai, mas o escarnecedor não atende à repreensão. (Pv 13.1)
  • O insensato despreza a instrução de seu pai, mas o que atende à repreensão consegue a prudência. (Pv 15.5)
  • Ouve o conselho e recebe a instrução, para que sejas sábio nos teus dias por vir. (Pv 19.20)
  • Filho meu, se deixas de ouvir a instrução, desviar-te-ás das palavras do conhecimento. (Pv 19.27)

Não sinta vergonha de buscar conselhos e de prestar contas. Muito disso depende da idade e da circunstância. Então, se você é mais jovem e tem pais responsáveis e, esperançosamente, cristãos, eles devem ser um dos seus primeiros portos seguros. Caso contrário, encontre santos ligados e conectados (em todos os sentidos) que sejam sábios e maduros. Mas encontre conselheiros fiéis: os dê acesso à sua atividade online e busque a sua opinião. Saia do seu círculo comum, se necessário, e encontre alguém que não vai, necessariamente, dizer o que você deseja que seja dito: isso não é buscar conselho, mas buscar alguém que vai aplaudir enquanto você se envolve com o que quer que te satisfaça. Escute humildemente o que os seus conselheiros dizem, já que buscar demais por conselhos é uma tentativa desesperada de encontrar alguém que vai confirmar o que você já decidiu fazer ou dizer o que você espera ouvir.

Post #5 em breve…

Tags: , ,

Traduzido por Kimberly Anastacio | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.