Castelo Forte é nosso Deus

por Filipe Schulz

Continuando o trabalho que temos realizado em nossa igreja de resgate da nossa rica herança musical, tenho o prazer de anunciar um novo projeto. Reunimos uma equipe que vai se dedicar a estudar, pesquisar e produzir material a respeito das músicas que cantamos em nossos cultos e divulgar para apreciação e edificação de todos.

Como já disse certa vez, “relembrar a história da Reforma é relembrar a história da nossa fé. Não vivemos em um vácuo, mas fazemos parte do cumprimento eterno do plano de Deus que tem se desenrolado há milhares de anos. Juntemo-nos a nossos irmãos de todas as eras passadas no louvor e adoração ao Deus Criador, Eterno e imutável”. E para começar essa tarefa, seria difícil não escolher o hino mais associado à nossa herança protestante reformada, “Castelo Forte”.

Sem mais delongas,

BREVE HISTÓRIA DO HINO “CASTELO FORTE”
  • Castelo Forte  (em alemãoEin feste Burg ist unser Gott) é um hino cantado em igrejas protestantes, composto por Martinho Lutero em 1529. O texto é uma paráfrase do Salmo 46:

“1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.2 Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se projetem para o meio dos mares;3 ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.”

(Heinrich Heine: Poeta. Boa parte de sua poesia lírica, especialmente a sua obra de juventude, foi musicada por vários compositores notáveis como Robert SchumannFranz SchubertFelix MendelssohnBrahmsHugo WolfRichard Wagner)

  • Há pelo menos 53 traduções em inglês.
  • É considerado o Hino de Batalha da Reforma Protestante, devido ao efeito produzido no apoio à causa dos Reformistas. John Julian declina quatro teorias sobre sua origem:
  • O mais antigo hinário existente em que este hino aparece, é o de Andrew Rauscher (1531), mas é provável que ele figurasse no hinário de Wittenberg, de Joseph Klug, de 1529, do qual não existe cópia. Seu título era Der xxxxvi. Psalm. Deus noster refugium et virtus. Antes disso é provável que tenha figurado no Hinário de Wittenberg, de Hans Weiss de 1528, também extraviado.
  •  Esta evidência reforça a idéia de que fora escrito entre 1527 e 1529, já que os hinos de Lutero eram impressos imediatamente após serem escritos. A tradição diz que o Rei Gustavus Adolphus of Sweden fez executar esse hino, enquanto suas tropas marchavam para a Guerra dos Trinta Anos. O Salmo já tinha sido traduzido para a língua sueca, em 1536. Muitos séculos depois, a canção se tornaria o hino nacional do antigo movimento socialista sueco.
  • Existem várias versões portuguesas desse hino; vide ligações externas abaixo. Talvez ironicamente, dado ao seu pedigree de Reformador, é atualmente um hino sugerido nas missas católicas, figurando na segunda edição de “O Livro Católico do Louvor”, publicado pela Conferência Canadense dos Bispos Católicos.
  • Outra teoria existente é a de que o primeiro hino de Lutero, consagrado a dois frades martirizados, intitulou-se “O Cântico dos Dois Mártires de Cristo em Bruxelas”, queimados pelos Sofistas de Louvain. Seu hino inigualável, Castelo Forte, foi escrito “na hora mais escura na história deste movimento”. Perseguições da parte do Imperador Carlos V ameaçavam a existência dos chamados “Protestantes”. Lutero mesmo sofria ameaças de morte a toda hora. Quando foi acometido pela “praga” que ceifou muitos dos seus irmãos na fé, chegou a se despedir de sua família. No entanto, Deus tinha outros planos.
  • Escrito em 1529, em Coburg, foi o chamado à batalha de Lutero. Estava triunfante o movimento da Reforma Religiosa na Europa. Iniciado por Martinho Lutero e coadjuvado por Melanchton (um leigo-teólogo), Calvino, Zwinglio, Huss, Farel e outros, tomou logo conta de todos os países; mas no ano de 1523, em Bruxelas, dois jovens, cujo único crime fora a sua profissão de fé na nova doutrina, foram queimados. Em honra a esses dois mártires, Lutero escreveu e compôs a música do seu primeiro hino: Castelo forte é nosso Deus.

CURIOSIDADES

  • O hino foi cantado na Catedral Nacional durante o funeral do Presidente dos Estados Unidos Dwight David Eisenhower.
  • Uma versão de “Castelo Forte” foi usada como tema de um seriado de programa infantil de TV Davey and Goliath (Davi e o Gigante Golias), produzido pela Igreja Luterana dos EUA.
  • Parte dele pode ser ouvido no filme feito para a TV A Separate Peace.
  • No desenho animado Os Simpsons, a campainha da porta de Ned Flanders, o alegre devoto religioso, vizinho de porta, às vezes toca “Castelo Forte é nosso Deus.”

Letra em Alemão (original)

1. Ein’ feste Burg ist unser Gott,
Ein’ gute Wehr und Waffen;
Er hilft uns frei aus aller Not,
Die uns jetzt hat betroffen.
Der alt’ böse Feind,
Mit Ernst er’s jetzt meint,
Groß’ Macht und viel List
Sein’ grausam’ Rüstung ist,
Auf Erd’ ist nicht seins Gleichen.
3. Und wenn die Welt voll Teufel wär’
Und wollt’ uns gar verschlingen,
So fürchten wir uns nicht so sehr,
Es soll uns doch gelingen.
Der Fürst dieser Welt,
Wie sau’r er sich stellt,
Tut er uns doch nicht,
Das macht, er ist gericht’t,
Ein Wörtlein kann ihn fällen.
2. Mit unsrer Macht ist nichts getan,
Wir sind gar bald verloren;
Es streit’t für uns der rechte Mann,
Den Gott hat selbst erkoren.
Fragst du, wer der ist?
Er heißt Jesus Christ,
Der Herr Zebaoth,
Und ist kein andrer Gott,
Das Feld muss er behalten.
4. Das Wort sie sollen lassen stahn
Und kein’n Dank dazu haben;
Er ist bei uns wohl auf dem Plan
Mit seinem Geist und Gaben.
Nehmen sie den Leib,
Gut, Ehr’, Kind und Weib:
Lass fahren dahin,
Sie haben’s kein’n Gewinn,
Das Reich muss uns doch bleiben.

 

Versão – J. Eduardo Von Hafe (em Português)

1. Castelo forte é nosso Deus.
Espada e bom escudo;
Com seu poder defende os seus
Em todo transe agudo.
Com fúria pertinaz
Persegue Satanás,
Com artimanhas tais
E astúcias tão cruéis,
Que iguais não há na terra.
3. Se nos quisessem devorar
Demônios não contados,
Não nos podiam assustar,
Nem somos derrotados.
O grande acusador
Dos servos do Senhor
Já condenado está;
Vencido cairá
Por uma só palavra.
2. A nossa força nada faz,
Estamos, sim, perdidos;
Mas nosso Deus socorro traz
E somos protegidos.
Defende-nos Jesus,
O que venceu na cruz,
Senhor dos altos céus;
E, sendo o próprio Deus,
Triunfa na batalha.
4. Sim, que a palavra ficará,
Sabemos com certeza,
E nada nos assustará
Com Cristo por defesa.
Se temos de perder
Filhos, bens, mulher;
Embora a vida vá,
Por nós Jesus está
E dar-nos-á seu reino.

Para ver e ouvir:

Bibliografia:

1.Julian, John, A Dictionary of Hymnology, Revised Edition, Vol. 1, New York, N. Y. , Dover Publications, 1957, p. 704-705.

2.www.musicaeadoracao.com.br

3.Ein feste Burg ist unser Gott