Retrospectiva 2016: melhores livros

por Equipe Reforma21

Após um ano em que um desastre técnico quase levou o site a óbito, estamos retomando (ainda que lentamente) os trabalhos do Reforma21. E não há nada melhor para retomar a rotina aos poucos que tarefas familiares. Assim, aqui está a nossa tradicional lista dos livros preferidos.

Vale esclarecer que essa é uma lista de “leituras preferidas” do ano que passou, já que listamos livros de outros anos, não só os publicados em 2016. Além disso, não necessariamente são os melhores livros, mas aquelas leituras que destacaram por motivos específicos.

Um 2017 abençoado a todos!

Em Cristo,

Equipe Reforma21

Daniel TC

1Livros rápidos

Graças à falta de tempo, escolhi livros curtos pra ler. Pude ler pela primeira vez a Confissão Belga e os Cânones de Dort (já havia lido o Catecismo de Heidelberg, mas não tinha parado pra ler toda a Confissão Belga nem os Cânones de Dort sem ser “para consulta”), além do livro A Verdade da Cruz do R.C. Sproul. Também do Sproul, [re-]li alguns livros da coleção Crucial Questions (a Editora Fiel disponibiliza os ebooks). Essas leituras curtas foram agradáveis por apontarem para Cristo e úteis pra me manter andando ao longo do ano.

2How Jesus Runs the Church – Guy Prentiss Waters

Antes de fazer o curso de formação para oficiais da minha igreja eu considerava que governo eclesiástico é uma daquelas coisas sem muita importância que cada denominação faz o que acha melhor. Mentira do diabo. Esse livro é mais moderno que “A Igreja apostólica” do Thomas Witherow (que eu li naquela época) mas é igualmente instrutivo, apontando a forma de governo da igreja que a Bíblia ensina.

 

3Pride and Prejudice – Jane Austen

Como eu nunca havia conseguido prestar muita atenção ao filme (das várias vezes que assisti por causa da escolha de outras pessoas) não sofri com spoilers e tive a agradável surpresa do livro ser muito bem escrito. Apesar da temática mais, hm, feminina, é muito interessante acompanhar o desenvolvimento da história e ver como honra e família eram mais valorizados naquela época.

 

4Fundação – Isaac Asimov

Uma obra prima da ficção científica, ainda não terminei, mas finalmente comecei a ler Fundação. Não apenas pra equilibrar a testosterona literária (veja acima) mas também porque a forma como Asimov narra uma história ao longo de várias gerações é bem interessante de se ler. Aliás, ele claramente roubou essa ideia da forma como a grande história da redenção é contada, passando por várias gerações.

Emilio Garofalo Neto

5Infinite Jest – David Foster Wallace

Depois de anos enrolando, entrei numa leitura em grupo e com a ajuda do Schulz, completei. Impressionante! Uma ótima leitura para ajudar a compreender o nosso tempo por meio de uma engenhosa obra de ficção.

 

 

6How (not) to be secular – James KA Smith

Abridor de olhos para entender melhor algumas relações. Smith simplifica para nós humanos as ideias de Charles Taylor e nos ajuda tremendamente a compreender o mundo em que vivemos.

 

 

7O último sopro de vida – Paul Kalanithi

Foi muito interessante ler esse relato da doença terminal do autor, e me pegou num momento chave da vida. Belo e emocionante.

 

 

8From garden to the city – John Dyer

Estou apenas começando a explorar o assunto e achei o livro muito útil.

 

 

9Os invernos da ilha – Rodrigo Duarte Garcia

Gostei bastante desse romance brasileiro. Uma aventura. Farejei muito de Eclesiastes na trama.

 

 

22The Whole Christ – Legalism, Antinomism and Gospel Assurance – Sinclair Ferguson

Um baita livro lidando com Cristologia e salvação. Teologia histórica, sistemática e prática, na pena do grande escocês.

Josaías Ribeiro Jr.

10Graça Infinita – David Foster Wallace

Provavelmente o livro de autor não cristão mais citado nesse site, Graça Infinita é uma das mais complexas, loucas e fantásticas obras do século passado. Acompanhar a vida na Academia de Tênis Enfield e na casa de recuperação Ennet foi uma longa jornada por temas como consumismo, família, vício e nossa própria existência. Uma jornada que merece ser repetida, aliás.

 

11Jesus and the Father: Modern Evangelicals Reinvent the Doctrine of the Trinity – Kevin Giles

Lançado há alguns anos, este livre trata de temas que estão sendo discutidos atualmente. Aqui, Giles expõe e refuta a popular visão evangélica de que o Filho e o Espírito Santo são eternamente subordinados ao Pai, erro propagado por Wayne Grudem e Bruce Ware, entre outros. Embora o autor não reconheça a contribuição da Ortodoxia Reformada para a doutrina da Trindade e se engane sobre teólogos do antigo Seminário de Princeton, sua defesa da tradicional doutrina da Trindade e da igualdade entre as pessoas divinas é certeira e necessária.

 

12The Covenant of Redemption: Origins, Development, and Reception – J.V. Fesko

Este livro complementa o anterior, apresentando a grande contribuição da Ortodoxia Reformada para a doutrina da Trindade: a doutrina da aliança da redenção (ou pactum salutis), em que o Pai e o Filho entram em uma aliança pela salvação dos eleitos. O livro é um corretivo para a visão popular já mencionada (Eterna Subordinação do Filho) e demonstra como teólogos como Patrick Gillespie, John Owen, Charles Hodge, entre outros propuseram essa doutrina. Além disso, analisa e refuta as críticas à ideia do pactum salutis feitas por John Murray, Karl Barth e outros teólogos contemporâneos.

 

13John Owen and English Puritanism: Experiences of Defeat – Crawford Gribben

Esta é a mais atual biografia de John Owen e um excelente trabalho histórico feito por Gribben. Diferente de outros livros que exaltam apenas Owen como um grande heroi da fé, esse livro mostra o puritano inglês como um homem real, com falhas e virtudes, em busca de uma reforma da Inglaterra durante tempos complicados. O autor às vezes parece um tanto cético e crítico, respectivamente, quanto às habilidades pastorais e objetivos pessoais de Owen, mas creio que as próprias obras do puritano falam mais alto do que a desconfiança de Gribben. (Ou seja, vá às fontes primárias também).

 

Victor Bimbato

14O sol é para todos – Harper Lee

O livro trata sobre a questão racial nos Estados Unidos nos anos de 1930. Um advogado Branco assume a causa de um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca. A história é narrada pela filha mais nova do advogado – Scout. A autora desse livro é mais uma vítima de 2016. Ela faleceu no dia 19 de fevereiro desse ano.

 

15O oceano no fim do caminho – Neil Gaiman

Um livro que mistura fantasia e terror, no melhor estilo Neil Gaiman. A atmosfera em volta da obra é muito cativante. Vale cada linha. E pode ser adquirido em e-book.

 

16Posso saber se sou salvo? – R. C. Sproul

Um livro básico sobre doutrina cristã. Talvez muitos leitores do site já tenham lido. Mas é um arroz e feijão que vira mexe merece ser revisitado. É um livreto muito útil para quem está conhecendo agora a fé cristã reformada.

 

 

Filipe Schulz

17Augustine on the Christian Life – Gerald Bray

Metade biografia, metade teologia histórica, me ajudou muito a entender o contexto no qual surgiu um dos maiores pensadores cristãos deste lado do NT.

 

 

6How (Not) to Be Secular – James K. A. Smith

O livro que mais me fez pensar esse ano. Smith resume “A Secular Age”, de Charles Taylor, e mostra como o canadense foi, na minha opinião, quem melhor conseguiu capturar o espírito de nosso tempo. Recomendo fortemente.

 

18Lila – Marilynne Robinson

O último (até agora) da trilogia Gilead, já recomendada aqui outras vezes. Não é o meu preferido dos três, mas é tão bem escrito, belo, comovente, tocante e poderoso quanto os outros dois.

 

19

 

Ardil-22 – Joseph Heller

De longe a leitura mais divertida desse ano. Um dos grandes clássicos do Século XX, que faz jus a tal título. Humor absurdo e nonsense, uma história sobre os absurdos da vida durante uma guerra que te faz rir e chorar na mesma frase, muitas vezes por página. Junto com Smith no posto de melhores leituras do ano.

 

Nayara Andrejczyk

20Disciplines of a Godly Woman – Barbara Hughes

A autora trata de diversas áreas da vida da mulher Cristã, partindo de como pensar biblicamente a respeito do seu caráter, comportamento, à diversos tipos de relacionamentos tanto dentro como fora da igreja. O livro pode ser lido como um devocional ou como guia de estudos para edificação em grupo.

 

21Pensamentos Secretos de Uma Convertida Improvável – Rosaria Butterfield

Obra espetacular autobiográfica onde a autora enfatiza a maravilhosa graça salvadora do Senhor na vida desta ex-feminista radical, liberal, e homossexual professora da universidade de Syracuse, NY. O livro trata de forma profunda arrependimento e nova vida em Cristo, santificação, e nos ensina grandes lições a respeito da homossexualidade.

 

22The Whole Christ – Sinclair Ferguson

Levado a escrever este livro com base no que ficou conhecido como “The Marrow Controversy” do início do Século XVIII na Escócia , Sinclair define Legalismo, Antinomismo, e Certeza da salvação de forma bastante clara e no mais profundo sentido da palavra, mostrando a harmonia entre Lei e Graça e como ainda que despercebidamente tendemos a divorciar os dois criando uma falsa dicotomia que frequente e sorrateiramente tende a manifestar na vida do crente. Posso ouvir o sotaque escocês do Sinclair nos dando uma refrescante, encorajadora, e esperançosa aula sobre certeza da salvação. Super recomendado!

 

23The Closing of The American Mind – Allan Bloom

Escrito em 1987, Allan Bloom mostra a decadente trajetória da educação nas instituições Universitárias dos Estados Unidos causada pelo relativismo e pelo abandono do pensamento crítico. Bloom critica de forma brusca a educação contemporânea e sua pobreza literária e filosófica causando o “fechamento” da mente estudantil. Apesar de ter sido escrito com base no contexto Americano a quase 30 anos atrás, o livro soa bastante contemporâneo e descreve de diversas formas a realidade da “educação” universitária Brasileira. Super!

Marianna Schulz

24O homem que confundiu sua mulher com um chapéu – Oliver Sacks

Leve esse livro bem a sério, a começar pelo título. Dr. Sacks, neurologista famoso por ser um “cientista romântico” narra e analisa diversos casos de pessoas com distúrbios neurológicos e sensoriais raros, como a moça que perdeu sua propriocepção (basicamente, ela perdeu o senso de seu corpo no espaço) e, claro, o homem que confundiu sua mulher com um chapéu (é sério). Sacks descreve de forma singular cada caso e nos faz pensar sobre nosso próprio relacionamento com nossos corpos, sentidos e pensamentos.

 

25Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo – David Foster Wallace

Mais um livro do Wallace, mais uma leitura após insistência ferrenha do Schulz. Em um livro que reúne alguns de seus melhores ensaios, Wallace ganhou meu coração (como deu para ver que já fez com meu marido). Sua habilidade de te fazer pensar sobre os grandes temas da vida a partir de reflexões sobre passeios em cruzeiro, dois peixes dourados em um aquário, o maior jogador de tênis de todos os tempos e a temperatura ideal de cozimento da lagosta, como logo se vê, é única.

 

26Com amor, Anthony – Lisa Genova

Mais uma neurocientista para a lista – já deu para ver que é um tema do meu interesse. Genova traz, por meio de sua ficção, um retrato preciso e fiel de uma criança autista, Anthony. É de abrir os olhos, tanto a forma como as pessoas enxergam o autismo como a empatia de se ver nos corredores do pensamento de um menino autista de 6 anos. Emocionante e bem embasado cientificamente – dois adjetivos que raramente andam juntos. Recomendo esse e outros livros da autora.

Tags: , , ,