As 95 teses de Martinho Lutero

por Justin Holcomb

Justin Holcomb
Justin Holcomb

Histórico

Lutero certamente não planejava que as suas Noventa e Cinco teses fossem uma chamada para a Reforma, pois ele não queria causar uma divisão na igreja. Ele apenas queria ser fiel às Escrituras. De fato, a discussão pública incitada pela publicação das teses era simplesmente a forma típica em que ocorriam debates naquele tempo. Entretanto, o conteúdo das teses que Lutero publicou era bastante controverso. E por causa das novas tecnologias da imprensa e da situação cultural do inicio dos anos 1500, a ideias de Lutero foram espalhadas por toda a Alemanha e abriu caminho para o braço germânico da Reforma.

As Noventa e Cinco Teses foram estimuladas pela controvérsia na igreja sobre a venda de indulgências. Uma indulgência era uma declaração feita pela igreja que removia ou satisfazia a punição pelo pecado. As indulgências se baseavam no “tesouro dos méritos”. De acordo com essa ideia, muitos dos santos da igreja morreram com mais mérito do que precisavam para entrar no céu. Então, o excesso de mérito era “armazenado” e o Papa era o distribuidor desses méritos.

O povo da época Medieval estava muito preocupado com o período de punição no purgatório – uma punição pós-morte enfatizada em detalhes pela igreja. Eles não tinham muito medo do inferno porque acreditavam que o perdão e a benção de seu sacerdote lhes garantiriam a entrada no céu. No entanto, as dores do purgatório permaneciam uma realidade que eles tinham medo de enfrentar. A igreja ensinava que, antes que pudessem estar aptos a entrar no céu, eles precisavam ser limpos de qualquer pecado que tivessem cometido nas suas vidas na terra. As indulgências serviam, então, para limpá-los dos pecados. A igreja fez da penitência um sacramento, solidificando na mente do povo que uma indulgência poderia diminuir o tempo de punição a ser enfrentado no purgatório.

O principal adversário de Lutero na questão da controvérsia da indulgência nas Noventa e Cinco Teses era Johann Tetzel, um vendedor de indulgências contratado por Albrecht, o arcebispo de Mainz. Albrecht concordou em patrocinar a reconstrução da Catedral de São Pierre em Roma, e o Papa concordou com a concessão de uma indulgência especial que ele poderia vender a fim de levantar os fundos necessários.

Conteúdo

Muitos protestantes são muito familiarizados com as ênfases de Lutero na justificação pela fé; no entanto, suas Noventa e Cinco Teses eram sobre indulgências, autoridade papal, a autoridade da Escritura, e o perdão de pecados. As Noventa e Cinco Teses de Lutero foram principalmente destinadas a facilitar a discussão sobre a teologia das indulgências. Após vários séculos de abuso da responsabilidade pastoral na igreja, a prática da venda de indulgências tinha crescido e se tornado um escândalo.

Lutero viu um grande problema pastoral na venda de indulgências. Isso encorajava as pessoas em seus pecados e voltava suas mentes para longe de Cristo e do perdão de Deus, e para a compra do perdão. A frustração de Lutero com a igreja foi com a sua reivindicação de ter autoridade para controlar o tempo das pessoas no céu, no inferno ou no purgatório. Enquanto as Noventa e Cinco Teses tocavam em um assunto de prática diária e atingiu um ponto profundo da estrutura da autoridade que existia na igreja medieval, a causa formal da Reforma Protestante era o tópico da justificação e a causa material era a Eclesiologia, a doutrina da igreja.

As Noventa e Cinco Teses chamaram a igreja ao arrependimento e pedia aos líderes do movimento de indulgências que direcionassem seus olhares para Cristo, o único que seria capaz de pagar o castigo merecido pelo pecado: “Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: ‘Arrependei-vos… ’, certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo arrependimento” (Tese 1). Em vez do tesouro de mérito que estava sendo vendido, Lutero protestou, “O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus.” (Tese 62).

De todas as partes do documento, a conclusão de Lutero (Teses 92-95) é, talvez, a mais memorável:

(92) Fora, pois, com todos estes profetas que dizem ao povo de Cristo: Paz! Paz! E não há Paz. (93) Abençoados sejam, porém, todos os profetas que dizem à grei de Cristo: Cruz! Cruz! E não há cruz. (94) Admoestem-se os cristãos a que se empenhem em seguir sua Cabeça Cristo através do padecimento, morte e inferno. (95) E assim esperem mais entrar no Reino dos céus através de muitas tribulações do que facilitados diante de consolações infundadas.

Lutero foi condenado pela igreja a se retratar em 1520 e acabou exilado e banido em 1521

Relevância Contemporânea

Uma das grandes formas em que as Noventa e Cinco Teses de Lutero nos afeta hoje – além da maravilhosa herança dos cinco solas da Reforma – é que elas nos levam a examinar cuidadosamente as práticas da igreja à luz do padrão estabelecido na Bíblia. Lutero viu um abuso, não teve medo de enfrentá-lo e foi exilado como resultado de sua fidelidade à Bíblia em meio a uma férrea oposição.

[tweet link=”http://iprodigo.com/?p=6554″]As 95 Teses de Lutero nos levam a examinar cuidadosamente as práticas da igreja à luz do padrão estabelecido na Bíblia[/tweet]

Tags: , , ,

Traduzido por Marianna Schulz | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.