Fofoca

por Ray Ortlund

Por Ray Ortlund

P.: Quais são os deveres exigidos no nono mandamento?

R.: Os deveres exigidos no nono mandamento são: conservar e promover a verdade entre os homens e a boa reputação de nosso próximo… desejar e ter regozijo pela sua boa reputação… receber prontamente boas informações a seu respeito e rejeitar as que são maldizentes.

Assim diz o Catecismo Maior de Westminster. A própria Bíblia é muito clara sobre a fofoca, provavelmente porque somos tão inclinados a ela.

Senhor, quem habitará no teu santuário?
Quem poderá morar no teu santo monte?
Aquele que  não lança calúnia contra o seu próximo.
(Salmo 15.1,3)

Há seis coisas que o Senhor odeia,
sete coisas que ele detesta:
aquele que provoca discórdia entre irmãos.
(Provérbios 6.16,19)

Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo. (Levítico 19.16, ARA)

Irmãos, não falem mal uns dos outros. (Tiago 4.11)

Procure resolver sua causa diretamente com o seu próximo,
e não revele o segredo de outra pessoa.
(Provérbios 25.9)

Deus os entregou a uma disposição mental reprovável… São caluniadores. (Romanos 1.28,29)

Existem muitas passagens bíblicas confrontando a fofoca. O testemunho de Deus contra esse pecado é poderoso.

O que é fofoca? Não é necessariamente falsa informação. Calúnia é falsa. Fofoca talvez inclua informação verdadeira, e talvez por isso a fofoca nem sempre pareça pecaminosa. O que torna algo pecado é, primeiro e mais importante, que Deus diga que é pecado. Mas a fofoca espalha o que pode incluir informação correta para diminuir outra pessoa. Não é assim que pessoas se comportam quando estão vivendo no poder da graça de Deus.

Fofoca é nossa sombria excitação moral procurando desesperadamente por gratificação. A fofoca faz-nos sentir importantes e necessários, enquanto declaramos nossas opiniões. Faz-nos sentir incluídos ao saber das últimas notícias. Faz-nos sentir poderosos ao diminuir alguém, especialmente alguém de quem temos inveja. Faz-nos sentir justos, mesmos responsáveis, ao pronunciar alguém como culpado. A fofoca pode fazer com que nos sintamos bem de diversas maneiras. Mas segundo a carne, não o Espírito.

Adultério também é um pecado sério, e provavelmente alguém deveria ser disciplinado na igreja. Mas eu nunca vi uma igreja se dividir devido ao pecado de adultério. Fofoca é um pecado raramente disciplinado, mas frequentemente mais socialmente destrutivo que os pecados sensacionais.

[tweet link=”http://iprodigo.com/?p=1932″]Fofoca é um pecado raramente disciplinado, mas frequentemente mais socialmente destrutivo que os pecados sensacionais.[/tweet]

A fofoca deixa um grande rastro de devastação onde e como acontece – conversa, e-mail, blog, YouTube. Ela erode a verdade e destrói a unidade. Cria um ambiente social de suspeita, quando todo mundo deve ser perguntar se o que está sendo dito pelas costas e se as aparências de amizade são sinceras.  Ela arruína reputações conseguidas com esforço, com armas covardes, porém eficazes, de inverdades. Manipula pessoas para que escolham lados, quando nenhuma ação do tipo é necessária ou benéfica. Libera os poderes sombrios da transferência psicológica, fazendo violência ao fofoqueiro, àquele que recebe a fofoca, e à pessoa contra quem se fala. Faz o Corpo de Cristo parecer-se com o Corpo do Anticristo – destrói ao invés de curar. Exaure as energias que, de outra forma, devotaríamos ao testemunho positivo. Ela rouba de nosso Senhor a igreja que ele merece. Ela expõe a hostilidade em nossos corações, e tira o crédito do Evangelho aos olhos do mundo. Então, nos perguntamos por que não vemos mais conversões, por que o  “solo é tão duro”.

O que devemos fazer quando uma conversa começa a caminhar para a fofoca? Devemos imediatamente desafiar o pecado: “Ei amigo, desculpe interromper, mas isso é fofoca. Temos um trato agora. Essa conversa está em suspenso até que você chame _______, e então você possa dizer a ele o que você acha que deveria dizer na frente dele. Eu quero ser testemunha dessa conversa, mas não participarei da fofoca. O que você prefere fazer?”. Amy Carmichael estabeleceu essa regra em sua declaração de missão: “[Falar] nunca sobre, sempre para”.

“Tudo seja feito para a edificação da igreja” (1 Coríntios 14.26). Portanto, vamos sempre nos perguntar: “essas palavras que saem da minha boca, ou vêm de meu teclado – elas edificam? Estou sendo construtivo? Se a pessoa sobre quem discuto estivesse aqui comigo nesse momento, como sua presença mudaria no que digo?”.

“Não se deixem enganar… caluniadores não herdarão o Reino de Deus. Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus” (1 Coríntios 6.9-11).

Tags: , , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.