O casamento na história de Deus

por Phil Smidt

Phil Smidt
Phil Smidt

No princípio

A história de Deus é uma história de Boas Novas, e começa com uma cerimônia de casamento.

Depois de Deus criar os céus e a terra e os encher, Ele criou o homem e a mulher, unindo-os em matrimonio.

Deus criou o casamento para os seus propósitos, não os nossos, portanto o casamento pertence a Ele. Ele estabeleceu o casamento como uma união sagrada na qual Ele iria construir os alicerces para o estabelecimento da família e, ainda, da sociedade e da cultura.

Casamento é

Deus define o casamento desde o começo: uma íntima relação de aliança entre um homem e uma mulher para toda a vida. (Genesis 2.24, Provérbios 2.16-17, Malaquias 2.14).

Biblicamente, Moisés foi o primeiro a caracterizar o casamento. “Por esta razão (por causa do casamento – minha ênfase) o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne” (Gênesis 2.24). No novo testamento, tanto Jesus (Mateus 19.5, Marcos 10.6-7) quanto Paulo (Efésios 5.32) ratificam Moisés e concordam com a definição de Deus para casamento:

  • É exclusivo (um homem e sua mulher).
  • Não é definido por laços familiares temporais, mas por uma promessa de aliança permanente (deixará pai e mãe).
  • É um compromisso para a vida toda (une-se).
  • Intimidade (união) se segue (eles se tornam uma só carne).

No entanto, o casamento, em hipótese alguma, foi criado com o fim em si mesmo.

Conforme a história divina começa a se desdobrar, Ele revela sua melhor intenção para o casamento.

A promessa da aliança

O amor de Deus para com o seu povo tem sido sempre firme e seguro, e Ele se une a eles em um permanente, exclusivo, íntimo, e pactual relacionamento.

Votos e promessas são a base para uma aliança. Em um dia de casamento, a noiva e o noivo fazem votos para o outro, prometendo amar somente um ao outro por toda a vida, independentemente da circunstância.

Em toda a Escritura, há numerosas analogias tiradas entre o compromisso de aliança de Deus e o seu povo escolhido e a promessa de aliança de entre marido e mulher no casamento. Especificamente, Deus se nomeia “marido” e seu povo, “noiva” (Isaías 54.5, 62.5, Jeremias 2.2, Apocalipse 19.7, 21.2, 9, 22.17).

Deus é melhor em promessas do que nós

Um problema que tem existido desde Gênesis 3, considerando a diferença entre a aliança de Deus e a nossa:

  • Deus faz promessas e as cumpre.
  • Nós fazemos promessas e as quebramos.

Quando o povo de Deus peca contra Ele e em seguida procura outros deuses, seus atos pecaminosos são chamados de ‘adultério espiritual’ e ‘prostituição’ – linguagem forte para pecado, mas uma descrição correta da destrutiva natureza relacional da nossa rebeldia contra um amoroso, fidedigno e santo Deus (Oséias, Jeremias 3.6-21, 31.32, Ezequiel 23, Salmos 106:39).

Nós não pecamos em um vácuo. O pecado é sempre, e sempre começando por Deus, contra alguém. Mas, continuamente, um Deus fiel e apaixonado procura e intervém, provendo a remissão pelo pecado que é suficiente e eterna para as crianças rebeldes que se arrependem.

Jesus e casamento

Efésios 5.23-32 revela mais do plano de Deus para um casamento cristão por ser escrito especificamente para maridos e esposas cheios do Espírito (Efésios 5.1,18): “Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à Igreja” (Efésios 5.32). O mistério se refere ao plano de Deus acerca da redenção para a sua igreja (sua noiva), o coletivo de todos que receberam a salvação por meio da morte expiatória de Cristo na cruz.

Essa imagem poderosa de Cristo, e da igreja em geral, igualmente permeia o casamento de um homem e de uma mulher, especificamente aplicando-se aos detalhes diários de suas vidas diárias juntos. Sem Jesus, é impossível para o marido e a esposa reunir forças suficientes, sentimentos de amor, ou boas intenções para cumprir sua função bíblica e entrar no casamento. Mas por causa dEle, dois pecadores, indivíduos completamente diferentes, podem ser milagrosamente transformados em um.

Papéis de marido e mulher definidos pela cruz.

Fica claro que os papéis bíblicos do marido e da mulher são menos sobre o que um casal deve fazer e mais sobre o que Jesus fez por eles.

Esposas cristãs podem olhar para a cruz e ver Jesus, aquele que livremente se submeteu à vontade do Pai para morrer no lugar dela (Efésios 5.22-24). Sua resposta de submissão não deve ser uma passividade invejosa, competição com o marido, ou uma disputa autoritária de poder, mas alegre e intencional, bem como a atitude de Cristo para com ela (Hebreus 12.2).

[tweet link=”http://iprodigo.com/?p=5385″]Os papéis bíblicos do marido e da mulher são menos sobre o que um casal deve fazer e mais sobre o que Jesus fez por eles.[/tweet]

Outrossim, o marido cristão pode olhar para a cruz e ver Jesus, que, por amor e humildade, deixou sua vida de lado para morrer pelos pecados dos homens. Em seguida Jesus venceu a morte e ressuscitou para dar vida e guiar a igreja, provendo em suas necessidades (Filipenses 2.3-8). Da mesma forma, agora Cristo chama os maridos para morrerem para eles mesmos e viverem e guiarem as suas esposas e filhos dando honra e glória a Deus, não com regras como controladores tiranos ou desaparecendo como um covarde desistente (Efésios 5.25-30).

A visão de Deus para o casamento

Casais casados cheios do Espírito tem a oportunidade de conhecer e aceitar um ao outro profundamente, conforme aprendem que amar uma outra pessoa não é natural, e nem vem com facilidade. Eles conseguem amar porque Cristo os ama (1 João 4.10-11). Eles não precisam ter medo da intimidade ou de confessar os pecados, eles podem andar na liberdade da fé e do arrependimento. Uma vez que eles tenham sido agraciados e perdoados, eles podem oferecer graça e perdão um ao outro. Porque Deus tem sido bom para com eles, eles devem ser também um com o outro. (Efésios 4.32).

Como companheiros ajudadores quem vêem seus cônjuges como preciosos presentes de Deus, juntos eles podem enfrentar as benção, provações, e inesperadas surpresas da vida, satisfazer seus filhos por meio de Jesus, servir seus irmãos e irmãs na igreja, e compartilhar o evangelho com seus vizinhos, suas famílias e seus colegas de trabalho. Assim como Jesus continua intencionalmente buscando-os e amando-os, eles começam produtivamente a buscar e amar um ao outro, construindo um legado à medida que envelhecem juntos para a honra de Deus.

Felicidade conjugal

A Bíblia termina com uma cerimônia de casamento. Em Apocalipse 19.6-9, a história de Deus culmina em Jesus trazendo a sua Noiva, a igreja, para a casa em que vai viver para sempre com Ele. Aqueles que creram em Cristo para a salvação por toda a história, quer seja antecipando sua vinda ou olhando para trás quando Ele já veio, irão viver com Ele para sempre.

As bodas do Cordeiro provam que o Deus que honra suas alianças cumpre suas promessas. E essa é a sua esperança, e irá sempre ser a esperança da Noiva de Cristo.

Traduzido por Marianna Brandão | iPródigo.com | Original aqui

Tags: , , , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.