Quando você quer morrer por Cristo, mas ele não deixa

por C. Michael Patton

C. Michael Patton
C. Michael Patton

Você sabe como é: você está pegando fogo, você está pronto, disposto e capaz; você não precisa mais de nenhum sermão em Romanos 12.1. Você é um sacrifício vivo. Você já leu Radical. Você já leu Louco Amor. Você está pronto para morrer. Você está pronto para morrer por Cristo, pelo evangelho ou por qualquer outra missão que Deus te der.

Seja aonde for, seja como for, Deus, eu estou pronto para sacrificar tudo.

Problema: não há altar. Bem, não como você pensou. E, se existe, ele não existe na glória de suas percepções. Você ora continuamente para que Deus te mostre a direção dele. Tem que haver um lugar para mim em seu exército.

Aqui está o que você faz:

Você decide se tornar um missionário. Você fala com a sua esposa e a sua família sobre largar o seu emprego e se tornar um missionário em tempo integral na África. Por que na África? Porque sim. Sua esposa acha que você está louco e seus filhos não entendem. Todas as tentativas de cativá-la com esse desejo de morrer estão indo no sentido oposto. Mas você não está prestes a questionar o seu chamado. No seu nível espiritual, você se distancia um pouco da sua família, acreditando que é a vontade do Senhor. Desânimo não tem vez com você.

Ou talvez…

Você decide começar uma igreja. Suas paixões serão realizadas com seu ministério em sua comunidade local, transformando todos ao seu redor com a pregação – pregação expositiva – da Palavra de Deus. Você está cansado das igrejas que não reconheceriam o Evangelho mesmo se fosse jogado na cara deles. Você será o farol na colina. Você não sabe bem o que fazer, então vai até o Microsoft Word e faz um panfleto. Você coloca uma bela imagem da Bíblia que você achou no Google no panfleto, juntamente com um anúncio de um novo estudo bíblico que vai ser realizado na cafeteria do seu amigo.

O dia chega. Centenas de panfletos foram entregues. Duas pessoas apareceram. Uma é a sua esposa. A outra é uma bela jovem que terminou com seu namorado e não tinha mais nada para fazer naquela noite. Já passou da hora de começar o estudo bíblico e você olha para fora na esperança de alguém mais aparecer. Alguém faz que vai entrar, mas volta ao perceber que talvez sejam os únicos que resolveram aparecer. Você tenta começar o estudo bíblico, mas a decepção de ensinar duas pessoas quando esperava por 30 ou 40 leva o vento de suas velas. Tudo que você quer é ir para casa e chorar.

Ou talvez…

Você decide ir para o seminário, mas não foi aceito.

Ou talvez…

Você começa um projeto de pequenas missões, mas não tem fundos.

Ou talvez…

Você procura seu pastor e lhe diz que você quer servir de qualquer forma, mas, não apenas ele não ficou emocionado com a sua perspectiva de envolvimento como você pensou que ele ficaria, como ainda não há nada para fazer. Ele disse que iria te ligar se aparecesse alguma coisa. Nada nunca apareceu.

Ou talvez…

Você começa com um estouro, mas então isso fracassa e ninguém está tão ansioso ou animado como você. Você se sente desanimado e desmotivado.

O que você faz quando você tenta… quero dizer, tenta mesmo morrer por Cristo, mas ele não deixa? O que você faz quando você está no altar e não morre, e você já está ficando realmente bronzeado?

Isso é para aqueles de vocês que se sentem chamados a fazer uma grande coisa pelo Senhor, mas nunca acontece.

Não deixe o seu zelo. As duas primeiras ilustrações acima são sobre exemplos verídicos da minha vida. Certa vez alguém me disse que a vida cristã é uma vida de recomeços – toda manhã! Não deixe as frustrações desanimá-lo. Você pode se desapontar, mas Deus nunca te jogará para baixo. Lembre-se que ele não está te colocando em uma corrida de 100 metros rasos, mas em uma maratona – corrida de longa distância. Eu amo o novos cristãos que estão decididos por entregar suas vidas ao Senhor. Mas eu fico muito triste quando eu vejo aqueles que tinham certo zelo voltarem às suas vidas antigas com um grande desânimo, perguntando porque o Senhor não os usa. Deus vai te usar. Deus está usando você. Mas não é como fogo de palha. Ele cria persistência. Eu sei… Ele não se move tão rapidamente como gostaríamos. Mantenha o zelo e a paixão, mas deixe que o Senhor defina o ritmo. E isso é a coisa mais difícil a se fazer.

[tweet link=”http://iprodigo.com/?p=6220″]Às vezes, ser um sacrifício vivo é apenas confiar silenciosamente no Senhor[/tweet]

Ministério não é a solução de fato para satisfazer sua intensa vontade de morrer pelo Senhor. Lembre-se, você é um sacrifício vivo. Um sacrifício vivo. Não se surpreenda se você vive! Não se surpreenda se você vive uma vida que é bastante comum, sem realizar algum impacto significativo por cada lugar que passa. Não imponha esse objetivo ao Senhor. Você se lembra de Abraão? Afinal de contas, o que havia de tão bom na vida dele? Eu não sei se ele alguma realizou uma grande cruzada evangelística. Ele nunca viajou pelo mundo com nada além de sua Bíblia. Ele nunca escreveu nenhum livro. Ele não era pastor de uma igreja. Ele nunca nem criou um blog. Pelo que eu li sobre ele, se não fosse pelo testemunho de Deus e da Bíblia sobre ele, ele não teria feito mais do que deixar uma pegada no mundo. Ou, melhor, nós não reconheceríamos a marca que ele deixou. Porque então que ele é tão grande? Porque ele era amigo de Deus. Confiava nele. Todos os dias, ele acreditava em Deus. Ele suportou em silêncio.

Às vezes, ser um sacrifício vivo é apenas confiar silenciosamente no Senhor.

Fique calmo e tranquilo. O Senhor vai mostrar o seu caminho em sua tranquilidade. Paulo diz aos tessalonicenses para que “Esforcem-se para ter uma vida tranquila, cuidar dos seus próprios negócios e trabalhar com as próprias mãos” (1 Tessalonicenses 4.11). Ai. Mas impactos nunca são “quietos”. Eu quero impactar. Eu quero agitar as coisas. Eu quero jogar uma bomba no mundo para deixar a marca da Trindade! O problema é que a sua bomba pode ser o contrário dos planos de Deus. Sua bomba poderia te tirar do altar. Deus vai te direcionar.

Eu acabei de ver um amigo muito querido que tinha muito zelo pelo Senhor, muita paixão em segui-lo e tanto desejo de morrer que agora ele está sentado, divorciado, afastado de sua esposa e família, com a cabeça entre as mãos, perguntando porque o Senhor cimentou sua vida espiritual. Em seu zelo, ele ultrapassou o Senhor e deixou sua esposa porque não podia esperar ela alcançá-lo.

Sua paixão pode abrir as portas que você espera como podem não abrir. Mas você deve se colocar no altar, não importa aonde você está ou como Deus conduz, e ser um sacrifício vivo. Chuck Swindoll uma vez disse que o problema dos sacrifícios vivos é que eles continuam rastejando para fora do altar. Volte para o altar.

O que você faz quando não pode morrer por Cristo? Você vive por ele.

Traduzido por Marianna Brandão | iPródigo.com | Original aqui

Tags: , , , ,

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.