Jesus nos liberta da comparação

por Stephen Altrogge

Poucas coisas roubam a alegria da vida como a comparação. Comparar-me com outra pessoa pode arruinar meu dia em cinco segundos.

A maioria dos cristãos, inclusive eu, é muito pobre para estar constantemente adquirindo brinquedos novos, caros e esnobes. Ao contrário do Tio Patinhas, eu não tenho um cofre enorme em minha casa em que eu posso nadar regularmente. Eu não posso me equiparar aos ricos do mundo, então não me canso tentando. Estou bastante contente com minha casa de classe média, meu carro popular e minha televisão de tamanho médio. Eu não sinto pressão para me igualar aos ricos.

Ainda assim, toda sub-cultura cristã tem seu conjunto de regras que todos tentam seguir. Os que seguem as regras são vistos como crentes maduros e espirituais. Os que não seguem, como se estivessem em uma escala inferior de maturidade cristã. De quais tipos de regras eu estou falando? Por exemplo:

  • A maioria das famílias na igreja, quando educa seus filhos, o faz em casa e não em escolas.
  • A maioria das famílias tem cinco filhos ou mais. Essas crianças são bem comportadas e respeitosas o tempo todo.
  • A maioria dos jovens está casada até os 25 anos e tem quatro filhos até os 30.
  • A maior parte das famílias na igreja é republicana e se agarra à suas armas e a sua religião vigorosamente.
  • A maioria das famílias é adepta de alguma dieta orgânica.
  • A maior parte das famílias adere aos honráveis e tradicionais princípios da corte ao invés do namoro.

Não há nada inerentemente errado com essa lista. Entretanto, essas regras não-escritas podem ter um efeito colateral que nos torna miseráveis.

Pais que decidem mandar seus filhos para a escola pública podem se sentir como se eles tivessem, de alguma forma, falhando com seus filhos. Como se eles não fossem tão santos como os pais que educam em casa. Os filhos de todos os outros sabem latim aos nove! Meus filhos estão para trás. Eu sou um fracasso como pai!

Mães que decidem que só possuem capacidade emocional para dois filhos podem se sentir como totalmente fracassadas. Todos os outros tem uma família grande! Por que não consigo lidar com mais de dois filhos? Por que meus filhos são tão malucos e desobedientes? Algo deve estar errado comigo!

Famílias que, devido ao seu estresse financeiro, não conseguem pagar por comida orgânica podem se sentir como pais tolos e descuidados. Todos os outros parecem estar em algum tipo de dieta. Meus filhos estão comendo sanduíches de queijo no almoço. Devo ser um pai terrível!

Aqui vão boas notícias: Jesus nos liberta da comparação com os outros.

Minha identidade fundamental encontra-se em Jesus. Sou unido a ele, associado a ele, ele em mim e eu nele. Deus não me ama porque eduquei meus filhos em casa. Ele não me ama porque tenho muitos filhos que se comportam. Ele não me ama pelo que eu ou meus filhos comemos. Ele me ama porque sou seu filho. Ponto. Nada mais.

Não preciso alcançar as outras pessoas da minha igreja. Não preciso ser como ninguém. Meu sucesso aos olhos de Deus não depende se minha família é melhor ou pior do que outra. Meu sucesso aos olhos de Deus não depende se eu cumpro todas as regras não-escritas. Meu sucesso está atrelado a Jesus e ele já foi completamente bem sucedido.

Você está constantemente se comparando com outras pessoas? Se sentindo como se não estivesse à altura? Como se fosse um fracasso? É hora de parar com isso! Pare de jogar o jogo da comparação. Pare de tentar se encaixar em padrões estabelecidos por outras pessoas. Jesus já cumpriu todos os padrões que realmente importavam e a sua justiça é creditada a você. Seu trabalho é simplesmente amar a Jesus, buscar obedecer a Bíblia e alegremente seguir com sua vida. Se você não alcançar as expectativas dos outros, quem liga?

No entanto, pouco me importa se sou julgado por vós, ou por qualquer tribunal humano; de fato, nem eu julgo a mim mesmo.  Pois, embora eu esteja consciente de que não há nada contra mim, nem por isso me justifico, pois quem me julga é o Senhor. (1 Co 4.3-4).

 

Tags: ,

Traduzido por Kimberly Anastacio | Reforma21.org | Original aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.